Rio tem o 103º PM assassinado

Um policial ficou ferido na Baixada. Outros dois militares foram mortos

Por O Dia

Um policial militar morreu após tentativa de assalto no calçadão de Coelho da Rocha, em São João de Meriti, na noite de domingo. Com ele, sobe para 103 o número de agentes mortos somente neste ano. Outros dois militares um fuzileiro naval e um bombeiro também foram assassinados.

De acordo com o 21º BPM (São João de Meriti), o subtenente Claudio Queiroz de Brito, de 46 anos, foi socorrido para o PAM de Meriti, mas não resistiu aos ferimentos. Houve confronto durante a tentativa de assalto e um criminoso morreu. Foram apreendidas uma pistola calibre 380, dois carregadores e munição. O agente era lotado na Policlínica da Polícia Militar no município e estava há 27 anos na corporação. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense investiga o caso.

Outro PM foi atingido por um tiro em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ontem. O cabo Silas Wendel Mendes, lotado no 14º BPM (Bangu), estava de folga quando foi baleado no braço. Ele foi encaminhado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu.

Na manhã de ontem, o bombeiro Paulo Henrique Assis, 45, foi morto a tiros na porta de casa, na Rua Ipadu, na Taquara. O 18º BPM (Jacarepaguá) foi acionado para verificar ocorrência de disparos de arma de fogo no local. No entanto, quando os militares chegaram, o bombeiro já estava morto.

A Polícia Civil fez perícia no local do crime e ouviram testemunhas. Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que se solidariza com os familiares do militar e que a corporação está prestando assistência à família.

Na Baixada Fluminense, um fuzileiro naval foi assassinado a tiros na tarde de domingo em Nilópolis. A PM foi acionada para verificar a entrada de um homem ferido, vítima de disparo de arma de fogo, no Hospital Juscelino Kubitschek, no mesmo município.

Ao chegar à unidade, os agentes constataram que se tratava de um militar da Marinha. De acordo com parentes, o fuzileiro, que não teve a identidade revelada, estava no quintal de casa em uma moto quando os disparos foram feitos. A família escutou os tiros, encontrou o militar ferido e o socorreu imediatamente.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro