Autores do Estado do Rio invadem a Bienal

Escritores das cidades de Itaboraí, Cabo Frio, Teresópolis e Niterói marcam presença no principal evento literário do Brasil

Por LUIZ ALMEIDA

Emilly Amite, de Itaboraí, estreia na literatura com a obra 'Do Outro Lado do Espelho'
Emilly Amite, de Itaboraí, estreia na literatura com a obra 'Do Outro Lado do Espelho' - divulgação

Os autores brasileiros são o principal destaque da 18ª edição da Bienal Internacional do Livro evento vai até o próximo domingo, dia 10, no Rio. São mais de 300 escritores de todas as partes do Brasil, incluindo nomes consagrados e estreantes. Do Estado do Rio há representantes de Itaboraí, Cabo Frio, Teresópolis e Niterói.

Entre os autores fluminenses, a novata Emilly Amite, 26 anos, de Itaboraí, que estreia 'Do Outro Lado do Espelho', livro que surgiu de uma brincadeira de infância, quando ela fingia entrar e sair de um espelho e mudar de mundo. Incentivada pela mãe, Rosana Oliveira, e a ex-professora Simone dos Santos, a escritora conta que a obra é a realização de um antigo sonho. "Fui incentivada a ler e escrever desde pequena. Hoje, vejo o quanto valeu a pena. Ter um livro lançado na Bienal é um sonho de muitos. Estou conseguindo realizar o meu", empolga-se Amite.

De Cabo Frio, três escritores marcam presença na Bienal. É o caso de Ludmila Oliveira, com 'Construindo meu Jardim: das Sombras às Flores', que aborda as dificuldades enfrentadas por uma pessoa depressiva e tendências suicidas. Além dela, o poeta e escritor Junior Carriço aproveita o evento para fazer o pré-lançamento do livro de poemas 'Recovecos'.

Também de Cabo Frio, Jaqueline Brum apresenta duas obras. Uma delas, 'Cabo Frio Conhecer para Preservar', que aborda a riqueza patrimonial da cidade. Outra, o livro de crônicas 'Hashtag Alunos'. "Tenho muito orgulho de levar comigo o nome do Cabo Frio através dos livros em um evento tão importante, de muita troca e intercâmbio cultural", exalta a autora.

Teresópolis se faz presente com o livro 'Vida que Segue'. Escrita por 21 estudantes do programa Nova Educação de Jovens e Adultos (Neja), do Colégio Estadual Euclydes da Cunha, a obra é uma coletânea de contos e narrativas reais. "Eles têm de 18 a 70 anos de idade. Meu objetivo foi incentivar ainda mais os nossos alunos ao hábito da leitura e da escrita. Além disso, mostrar para eles que são capazes de realizar qualquer desejo", destaca a idealizadora do livro, a professora de Língua Portuguesa e Literatura Cláudia Menezes.

De Niterói, a professora Elaine Furlani, que lança o livro infantil 'A Lição do Macaco'. A obra aborda a temática da aceitação social das diferenças pela ótica de um macaco. Não à toa, além da versão convencional, terá também opção em Braile, juntamente com um CD com o áudio da história e um DVD em Libras Linguagem Brasileira de Sinais. "É importante abordar o assunto dentro contexto escolar para que as crianças possam aprender não só a conviver com as diferenças, mas também aceitá-las", acredita a professora Furlani.

Galeria de Fotos

Emilly Amite, de Itaboraí, na Bienal divulgação
Caravana de Cabo Frio traz na bagagem três escritores e quatro livros FOTOS divulgação
Emilly Amite, de Itaboraí, estreia na literatura com a obra 'Do Outro Lado do Espelho' divulgação

Comentários