Por

Acaba de ser lançado o aplicativo Remedin, que promete facilitar e agilizar a compra de medicamentos. O serviço foi uma das novidades apresentadas na ExpoPharma 2017, evento que reuniu empresas do atacado e do varejo farmacêutico no Riocentro, na Zona Oeste do Rio, na semana passada. O app é gratuito e está disponível para o sistema Android. Em breve, também poderá ser usado no IOS.

O funcionamento do Remedin se baseia em geolocalização: uma vez instalado no celular, ele exibe todas as farmácias próximas ao local onde o usuário está. A ferramenta é capaz de realizar uma busca de preços de remédios e permite que a pessoa faça o pedido pela plataforma. O pagamento, nesta primeira fase do serviço, deve ser efetuado no momento da entrega do produto. Também é possível retirar a encomenda na farmácia escolhida.

A expectativa é que o Remedin promova uma revolução no comércio de itens de farmácia. Segundo o gestor comercial Fernando Rodrigues, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do aplicativo, também é objetivo divulgar as pequenas e médias drogarias. "O Remedin é mais um balcão de vendas para elas, que não têm como concorrer com as grandes em termos de publicidade", afirma.

A venda de medicamentos é a principal responsável pelo desempenho financeiro positivo do setor farmacêutico, apesar da crise que o Brasil atravessa. As grandes redes de farmácias e drogarias mantiveram os índices de crescimento no primeiro semestre do ano. Segundo a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), as 27 associadas movimentaram R$ 21,72 bilhões entre janeiro e junho de 2017, aumento de 8,76% sobre o mesmo período do ano passado. O comércio de fármacos totalizou R$ 14,84 bilhões, alta de 10,69% em relação ao primeiro semestre de 2016. A venda dos não medicamentos contabilizou R$ 6,97 bilhões, acréscimo de 5,31%.

A criação do Remedin é uma prova da adaptação do mercado às exigências da atualidade e ao novo perfil do cliente, cada vez mais conectado.

Você pode gostar
Comentários