01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Creche terá nome de professora

Heley de Abreu morreu no incêndio impedindo vigia de fazer novas vítimas. Local deve abrir em 80 dias

Por O Dia

Aprefeitura de Janaúba vai reinaugurar em até 80 dias a creche onde ocorreu um ataque que deixou dez pessoas mortas com o nome da professora Heley de Abreu, morta no incêndio.

Em entrevista ontem ao Estado, o prefeito Carlos Isaildon Mendes (PSDB) afirmou que um grupo de empresários da região vai assumir a reforma. A professora, que lutou contra o vigilante Damião Soares dos Santos, responsável pelo incêndio, evitando a morte de mais crianças, foi homenageada com a Ordem Nacional do Mérito, concedida pelo presidente Michel Temer.

No sábado, o prefeito se reuniu com a Polícia Civil, secretários do município, engenheiros e arquitetos de Janaúba e de Montes Claros, principal cidade da região norte de Minas. "Os empresários vão assumir todo o custo da reforma da creche, descaracterizando todo o ambiente que aquelas crianças presenciaram", garantiu.

Técnicos fizeram medições no imóvel, vistoriado e fotografado para a reforma. "Só saberemos exatamente o que vai ocorrer com o prédio após a entrega do projeto arquitetônico" disse o prefeito.

A professora de 43 anos é considerada uma "heroína" na cidade. De acordo com testemunhas, Heley tentava socorrer as crianças em meio ao incêndio quando percebeu que o vigilante estava retornando ao local, com mais combustível e um palito de fósforo nas mãos. Ela tentou impedir o criminoso e os dois chegaram a entrar em luta corporal.

Duas crianças que inalaram fumaça no incêndio tiveram alta ontem. Outras 24 vítimas continuam internadas em estado grave.