Por

A 4ª Câmara Cível rejeitou recurso da para não pagar indenização de R$ 780 mil por causa da morte de Waldir Gomes de Moraes, em 1995. Ele caiu ao viajar em um trem superlotado com a porta aberta. A Supervia alegou que à época o transporte ferroviário era operado pela Flumitrens, portanto, não teria responsabilidade pelo episódio. Mas, por unanimidade, o argumento não foi aceito pelos desembargadores.

Você pode gostar
Comentários