Por

João Gilberto Araújo Pontes, advogado trabalhista, defende que a sindicância contra a juíza incentiva prática do crime. Diz que a CLT permite que o magistrado determine a prisão de acusado que atue contra as instituições do trabalho. E lembra que só as mulheres sofrem.

Você pode gostar
Comentários