Morena fatal O Dia - D Domingo
01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Morena fatal

Grazi se identifica com o desejo de ser mãe da vilã - que rouba o filho da cunhada -, diz que pensa em aumentar a família e fala das cobranças da profissão

Por O Dia

Renato (Rafael Cardoso) e Lívia (Grazi Massafera)
Renato (Rafael Cardoso) e Lívia (Grazi Massafera) - Raquel Cunha/TV Globo

Uma mocinha que não deu certo. É assim que Grazi Massafera descreve Lívia, sua personagem em 'O Outro Lado do Paraíso', que estreia amanhã, às 21h, na Globo. Rebelde e incapaz de gerar uma criança, ela vai roubar o filho da cunhada e criar como se fosse seu. Em comum com a personagem, só o fato de ambas serem destemidas. Quando o assunto é aumentar a família, Grazi tem a resposta pronta: "Penso em ter mais filho, sim. Mas o mundo está tão perigoso que eu não penso em ter o terceiro. O segundo eu ainda quero. Eu queria quatro", completa a mãe de Sophia, de 5 anos, do relacionamento com o ex, Cauã Reymond.

VISUAL

Grazi teve 10 dias de descanso desde que terminou 'A Lei do Amor', em que viveu a ex-garota de programa e dondoca Luciane. Quando soube que tinha que pintar o cabelo de preto, a loura levou um susto. "Falei: 'preto, não!'. Tivemos uma conversa. Falei que não precisa ser preto", argumentou. Três meses depois do processo de tonalização, os fios deram uma clareada, e a atriz confessa que foi importante para sua composição. "Quando passava no espelho do carro, levava aquele susto. E acordando, com aquele fio preto na cara, era estranho. Mas agora eu estou me achando linda".

FAMÍLIA

Na trama de Walcyr Carrasco, Lívia é filha da vilã Sophia (Marieta Severo) e irmã de Estela (Juliana Caldas), que é rejeitada pela mãe por ser anã, e do playboy Gael (Sergio Guizé), que agride a mulher, Clara (Bianca Bin). "Quando eu vejo o Sergio fazendo uma cena, puxo um pouco dele para a Lívia. Vejo a Marieta e faço o mesmo para a minha personagem. É uma família meio estranha. Eles se amam do jeito deles", explica.

TRAMA

Com um espírito de garota selvagem chique, a personagem de Grazi é louca por Renato (Rafael Cardoso), que por sua vez é apaixonado por Clara. Quando a mocinha da história se casa com Gael e tem um filho com ele, Sophia dá um jeito de Clara ser internada em um hospício com a ajuda de Lívia, um delegado e um juiz amigos da matriarca da família. Apesar dos tons fortes que a personagem exige, Grazi conta que tenta buscar um caminho alternativo na composição de Lívia.

NOVA FASE

Os anos se passam. E a trama, que começa em 2007, avança para os dias de hoje. Nesse tempo, Clara fez amizade com uma mulher rica e culta, que lhe ensina tudo o que sabe. Inclusive, onde escondeu três obras verdadeiras dos pintores Picasso, Van Gogh e Toulouse Lautrec. Com sede de vingança e muito dinheiro, Clara vai atrás de todos que lhe fizeram mal.

Na segunda fase, Lívia está casada com Renato, que cedeu às investidas da morena, mas nunca esqueceu o amor por Clara, e cria Tomaz (Vitor Figueiredo), agora com 10 anos. Apesar dos defeitos, a vilãzinha tem verdadeira paixão pelo sobrinho e sente pavor ao imaginar um possível retorno da cunhada.

"Eu acredito, sim (na lei do retorno). Por isso, eu não forço nada, sabe? Tem gente que é muito vingativa, né? A vida se encarrega disso. Eu acredito nesse retorno. O que você faz, volta. Essa energia volta. Temos que tomar cuidado com isso. Eu tenho muita consciência disso e fico sempre tentando melhorar até nesse quesito. Que o retorno seja menos sofrido possível, que volte só as coisas boas", torce.

BALANÇO

Com 11 anos de carreira, Grazi faz um balanço de sua trajetória. Ela diz que todo esforço e dedicação não são em vão quando ambos são genuínos. "Eu provo muita coisa para mim mesma. Não perco tempo de ficar provando nada para ninguém. Eu me cobro muito. Sou assim comigo", conta ela, que pensou em desistir da carreira de atriz. "É pesado: tem a responsabilidade, o ritmo de trabalho, a rotina. A imprensa cobra muito da gente. A gente se coloca em uma posição de destaque. E quem se coloca na linha de frente é para tomar tiro, às vezes. Tudo tem um preço. Mas também tem os benefícios", ressalta, aos risos.