01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

A UNIÃO FAZ A FORÇA

Pequenos produtores respondem por 79% das empresas criadas neste ano no país. Eles expõem amanhã, no Dia do Empreendedor

Por O Dia

O empreendedorismo responde por uma fatia cada vez maior do setor produtivo nacional. É o que mostra o indicador de nascimento de empresas da Serasa Experian. Segundo o levantamento, 79% das empresas que surgiram no país de janeiro a julho deste ano foram criadas por microempreendedores individuais (MEIs). Em números absolutos, eles foram responsáveis por 902.290 novos negócios de um total de 1.142.641 surgidos no período. Desde que o indicador foi criado, em 2010, o número de empresas abertas por microempreendedores individuais bateu recorde no primeiro semestre.

Na cidade do Rio, a articulação de empreendedores em redes de Economia Solidária reflete esse aumento. Atualmente, há cerca de 630 profissionais cadastrados em 17 redes. Boa parte delas está situada em comunidades carentes, como Manguinhos, Cidade de Deus e Complexo do Alemão. Segundo Epitácio Brunet, subsecretário de Desenvolvimento da Prefeitura do Rio, os serviços oferecidos por esses profissionais se diversificaram nos últimos dois anos. "Tradicionalmente, os produtos comercializados eram peças de artesanato. Hoje, há participação de empreendedores nas áreas de gastronomia, e de agricultura orgânica e familiar", enumera Brunet.

FESTIVAL NO CENTRO DO RIO

Amanhã, no Dia do Empreendedor, os profissionais ligados ao Movimento Ecosol e ao Circuito de Feiras Orgânicas vão expor seus produtos em 150 stands no Largo da Carioca, no Centro do Rio, durante o Festival Economia Solidária. O evento, que ainda terá oficinas e apresentações culturais, vai até sexta-feira.

Dentre os expositores, participam Aracina Ferreira dos Santos, de 65 anos, e Rodrigo de Souza Silva, de 26. Os dois fazem parte da Rede de Manguinhos. Ex-praticante de Atletismo, Rodrigo largou o esporte há três anos para abrir a própria empresa, a Fábrica de Arte Carioca. Nas seis feiras que participa, vende uma média de 250 peças por mês.

Já Aracina, além vender suas bonecas de papel machê, vai ensinar o público da feira a produzi-las. A oficina será amanhã, às 9h. Outra expositora será Delci Vallim, artesã que produz bolsas e sacolas com o reaproveitamento de jeans.