Zico canta de galo no Fla e diretoria baixa a crista

Maior ídolo do clube diz faltar liderança ao time, e Bandeira de Mello propõe diálogo

Por O Dia

No Flamengo, a voz de Deus é também a do povo. Quando Zico usa a sua corneta divina, até a atual diretoria, que não costuma lidar bem com críticas pesadas, faz reverência. O Galinho soltou o verbo em seu programa no canal 'Esporte Interativo' e afirmou faltar liderança e cobrança no Rubro-Negro. Em resposta, o presidente do Rubro-Negro, Eduardo Bandeira de Mello, mostrou-se aberto ao diálogo. Com isso, o eterno camisa 10 da Gávea pode entrar no circuito e ajudar o time a sair da crise.

"Toda crítica vinda do Zico será sempre levada em consideração no Flamengo. Não apenas por vir do maior ídolo do clube, mas também porque todas as suas observações são sempre feitas de maneira educada e bem intencionada. Será sempre um prazer conversar com ele para entender melhor sua opinião e apresentar nosso ponto de vista sobre os assuntos destacados", afirmou o presidente, que, no entanto, ainda não procurou Zico para conversar: "Não marcamos nada. Mas estaremos sempre dispostos a falar com ele. Independentemente de qualquer coisa."

Como capitão do Flamengo, Zico levantou, por exemplo as taças do Mundial e da Libertadores, principais conquistas da história do clube. No primeiro mandato de Bandeira, atuava como um consultor. Hoje, afastado, costuma se posicionar sobre o desempenho rubro-negro. Chegou inclusive a gravar vídeos criticando o trabalho do técnico Zé Ricardo, antecessor de Reinaldo Rueda.

"Falta liderança no campo, falta esporro, falta chegar mesmo e cobrar do cara, falar: 'Por que não deu? Tem de marcar, tem de chegar, tem de correr, tem de fazer isso'. Está faltando essa cobrança. O Flamengo está sem atitude, está sem liderança, não impõe respeito. Falta um capitão que nem o Fábio Luciano (ex-capitão do Fla que estava no mesmo programa de TV)", disse.

BRAÇADEIRA DE CAPITÃO PARA JUAN

Capitão do Flamengo na conquista do tricampeonato carioca em 2001, Beto concorda com Zico. O ex-meia indica Juan como candidato a novo capitão do time. Atualmente, Réver é o dono da braçadeira.

"O Juan tem que ser o capitão. Ele é uma referência, tem experiência. Com a gente, quando era novo, ele falava. Comigo, com o Romário... Não sei o que está acontecendo com ele agora, está calado", disse Beto.

Fábio Luciano, capitão nos títulos cariocas de 2008 e 2009, afirmou no canal 'Esporte Interativo' que teria chamado a atenção de Muralha. O goleiro tentou desconcentrar os jogadores do Cruzeiro, na disputa de pênaltis que decidiu a Copa do Brasil: "Eu falaria: 'Irmão, vai para o gol, se concentra e faz o seu.'"

Comentários