Uma estreia sob pressão

Em seu primeiro Fla-Flu, Everton Ribeiro terá a missão de comandar os rubro-negros

Por Vitor Machado

Sobre as costas de Everton Ribeiro pesará a responsabilidade da liderança técnica do Flamengo, contra o Fluminense, quinta-feira, às 17h, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Será o primeiro Fla-Flu do meia, que jogará na posição de Diego, machucado. Guerrero, que poderia assumir parte dessa carga, atuará pelo Peru dois dias antes. O atacante se reapresentará ao Rubro-Negro na quarta e, por isso, tem presença incerta no clássico.

Everton Ribeiro foi a contratação mais cara da gestão Eduardo Bandeira de Mello. O meia custou R$ 22 milhões e, após fazer falta na campanha da Copa do Brasil, competição na qual não pôde ser inscrito, começa a reivindicar um lugar no time. O técnico Reinaldo Rueda relutava em escalá-lo ao lado de Diego, mas parece ter mudado de ideia. Entre os dois, Berrío e Everton, um terá que sobrar.

Por isso, brilhar no Fla-Flu de quinta-feira pode fazer Everton Ribeiro largar na frente. Everton está voltando de lesão, Berrío ainda tenta conquistar a torcida e Diego, além da lesão, passa por má fase, embora tenha sido convocado por Tite acabou cortado por causa da lesão.

Debutante em Fla-Flus, Everton Ribeiro tem dois clássicos pelo Flamengo no currículo, com 50% de aproveitamento. Contra o Botafogo, sem Diego, mas com Guerrero, perdeu por 2 a 0, no último dia 10, três dias depois da primeira partida da final da Copa do Brasil 1 a 1 com o Cruzeiro, no Maracanã. Em 8 de julho, o camisa 7 ajudou o time a vencer o Vasco por 1 a 0, em São Januário.

Cuéllar, a serviço da seleção colombiana, enfrenta o Peru na terça-feira e, assim como Guerrero, será avaliado na véspera do clássico.

RETROSPECTO PARA EVITAR CLIMA DE CRISE

O Flamengo tem a seu favor uma invencibilidade de seis jogos contra o Fluminense para reencontrar o caminho das vitórias no Brasileiro. Em sétimo lugar na competição, o Rubro-Negro mira as quatro primeiras colocações para garantir vaga na fase de grupos da Libertadores de 2018. Após uma derrota para a Ponte Preta e um empate com o Avaí, um novo tropeço contra um time da parte debaixo da tabela agravaria o clima de crise. Principalmente por se tratar de um rival.

Nos últimos seis confrontos entre rubro-negros e tricolores, foram três vitórias do time da Gávea e três empates em um deles, o Flu ganhou nos pênaltis e conquistou da Taça Guanabara deste ano. O Flamengo, aliás, tem acumulado bom aproveitamento em clássicos. A derrota para o Botafogo, no dia 10 de setembro, quebrou um jejum de um ano e meio.

Comentários

Últimas de Esporte