Argentina? Tite só pensa no Brasil contra o Chile

Técnico ignora torcida contra os hermanos no último jogo oficial antes do Mundial

Por O Dia

Já classificado para a Copa, o Brasil entra em campo hoje, às 20h30, no Allianz Parque, para enfrentar o Chile. Mas boa parte da torcida estará com os olhos grudados na TV para ver (e secar) a Argentina diante do Equador, em Quito. Se nossos vizinhos tropeçarem, correm o sério risco de ficar fora do Mundial, fato que não acontece desde 1970. Apesar da 'mobilização' brasileira contra os hermanos, Tite promete concentração total em sua Seleção.

"O que nos move é botar a cabeça no travesseiro e saber que fizemos o melhor. A classificação (da Argentina) será determinada com o trabalho feito nos dezoito jogos. Não será merecimento por um jogo", disse Tite, que não perdeu nas Eliminatórias e quer outra vitória.

"Reconheço o Chile como grande equipe e tenho amigos argentinos. Temos que nos respeitar", frisou Tite, que espera um adversário difícil, que precisa vencer para ir ao Mundial: "É um time que tem característica e DNA de bicampeão da Copa América. Faz triangulações, jogadas curtas, têm profundidade. Tem peças de qualidade alta. Voltou o Valdivia."

Tite, que escolheu Marquinhos como o capitão hoje o zagueiro volta a ser titular após a lesão de Thiago Silva e será o 13º jogador a usar a braçadeira sob comando do treinador , prefere priorizar a evolução do Brasil. "A busca da excelência é constante. Se alguém quer aprimorar, tem que evoluir, buscar detalhes, fazer o melhor trabalho possível", disse o técnico, que dará chance ao goleiro Ederson, escalado na vaga de Alisson.

As mexidas, porém, são parcimoniosas. "Não posso desestruturar a equipe em demasia. Mexo no goleiro, já tem uma mexida na lateral esquerda. Se pegar jogos anteriores, vamos ver que mexemos em apenas duas peças. Quando mexe nos três setores, a oportunidade se perde pela falta de estrutura. Por isso tomei o cuidado de não mexer excessivamente", disse.

No treino de ontem, no Allianz Parque, Tite exigiu marcação sobre pressão no campo do adversário. Sua intenção é atrapalhar a saída de bola dos chilenos, que precisam vencer para ir ao Mundial.

JOGO DA VIDA PARA MESSI & CIA EM QUITO

A 2.850m de altitude e diante de um adversário já eliminado, a Argentina, que não fica fora da Copa desde 1970, define hoje, contra o Equador, em Quito, se irá ao Mundial da Rússia. O risco, mesmo contando com Messi, um dos melhores jogadores da história, é real.

Em sexto lugar nas Eliminatórias e fora da zona de classificação, os hermanos precisam vencer para, ao menos, irem à repescagem contra a Nova Zelândia, representante da Oceania.

Comentários

Últimas de Esporte