Messi, o todo poderoso

Em noite inspirada, craque faz três gols sobre o Equador e leva a Argentina ao Mundial

Por O Dia

Na altitude de Quito, a Argentina não tinha outra alternativa a não ser vencer para conquistar uma vaga na Copa do Mundo. E foi lá, bem pertinho do céu, que um milagre foi operado. Se Maradona é tratado como Deus por nossos hermanos, é bom o Papa Francisco começar a pensar em um processo para canonizar Messi.

O camisa 10, em uma noite mais do que inspirada, foi o dono da bola. Com três gols, ele comandou a vitória redentora por 3 a 1 sobre o Equador que saiu na frente com um gol de Romário Ibarra, aos 39 segundos de jogo e acabou com o sofrimento que rondava todo um país, que temia ficar fora do Mundial depois de 48 anos. Após o jogo, Messi foi saudado como um verdadeiro herói por seus companheiros. Cercado por todos, foi até a torcida jogar sua camisa, como forma de agradecimento pela confiança dos argentinos em seus pés.

Com os três gols da noite de ontem, Messi alcançou uma marca histórica ao se tornar o maior artilheiro da história das Eliminatórias sul-americanas, com 21, superando o compatriota Hernán Crespo e o uruguaio Luis Suárez.

PERU NA REPESCAGEM

Além da Argentina, quem também ratificou o passaporte para a Rússia foi o Uruguai, que goleou por 4 a 2 a Bolívia, no Estádio Centenário, em Montevidéu. Já a Colômbia ficou com a última vaga direta ao empatar em 1 a 1 com o Peru, em Lima. Os peruanos, que chegaram ao gol do empate já na parte final do jogo, com o atacante Guerrero em cobrança de falta, vai para a repescagem contra a Nova Zelândia, campeã da Oceania.

Comentários

Últimas de Esporte