Diego dá a vitória ao Mengão

Com gol do meia, time bate a Chapecoense por 1 a 0, na Arena Condá, e encerra jejum de dez jogos sem ganhar como visitante

Por O Dia

Longe de ser brilhante, o Flamengo quebrou incômodos tabus ao vencer a Chapecoense por 1 a 0, na Arena Condá. O decisivo gol de Diego garantiu o fim do enorme jejum de vitórias como visitante, então acumulado em dez jogos, em todas as competições. Se o camisa 35 foi o mocinho do domingo, o papel de vilão sobrou para Everton Ribeiro, que perdeu um pênalti quando o duelo ainda estava 0 a 0.

Sem vencer há três rodadas no Brasileiro, o Flamengo entrou em campo pressionado pelo recente histórico de más atuações e pela ameaça do Vasco na tabela. Cortado da seleção brasileira, Diego, recuperado de uma lesão na coxa esquerda, foi uma das novidades. Ao escalá-lo ao lado de Everton Ribeiro, o técnico Reinaldo Rueda apostou no taleto da dupla em busca do único resultado que aliviaria a pressão sobre a equipe.

Como de costume, o Flamengo teve maior posse de bola, e até criou chances, mas faltou calibrar o pé no passe final de Everton e nas finalizações de Everton Ribeiro e Willian Arão. A má pontaria ajuda a explicar a média de 1,07 gol por partida sob o comando de Rueda.

Sem o apetite que o torcedor esperava, o Flamengo voltou para o segundo tempo levando sufoco. Diego Alves evitou o pior em cabeçada de Túlio de Melo. Na cobrança de falta de Guerrero sobre o travessão, a equipe respondeu timidamente, quase 20 minutos depois.

Aos 25, o peruano arriscou da entrada da área e Douglas desviou com a mão: pênalti. Numa displicente cobrança, Everton Ribeiro praticamente recuou a bola para Jandrei. O castigo quase veio na bola desviada de Wellington Paulista, que parou em outra boa defesa de Diego Alves.

O drama rubro-negro durou até os 34 minutos. Diego recebeu de Berrío e chutou na saída de Jandrei. O gol encerrou um jejum de 643 minutos sem gol como visitante. Diego, que tenta recuperar o melhor de seu futebol, comemorou muito, aliviado.

Guerrero e Berrío ainda tiveram boas chances de dar mais tranquilidade à equipe, mas, pelo delicado momento, a 'magra' vitória de 1 a 0 foi celebrada como uma goleada.

Comentários

Últimas de Esporte