Por

Diego vive entre o paraíso e o inferno astral no Flamengo. O peso do pênalti perdido na final da Copa do Brasil contra o Cruzeiro vai demorar a sair de suas costas. Os três gols nas últimas duas partidas e a convocação para a Seleção, ontem, porém, indicam que, aos poucos, o meia começa a driblar a má fase e a se reconciliar com a torcida.

Foram dois duros golpes em sequência. Em 28 de setembro, Diego desperdiçou a sua cobrança na disputa de pênaltis diante do Cruzeiro. O erro custou o título ao Rubro-Negro. Cinco dias depois, veio o corte da seleção de Tite, por causa de uma lesão muscular na coxa esquerda.

"O Diego é nossa referência, como craque, dentro e fora de campo, pelo jogador que é e a carreira que tem. Talvez junto com o Guerrero seja a grande referência. O que nos dá muita felicidade de ter o Diego é que ele não se omite nunca", afirmou o zagueiro Juan, que homenageou o companheiro na comemoração de um dos gols de Diego. O zagueiro se ajoelhou e fez como se engraxasse a chuteira do meia, que agradeceu pelas redes sociais: "Confesso que fiquei um pouco constrangido ao ver um dos meus ídolos @j4juanoficial ajoelhado na minha frente, mas não poderia perder essa oportunidade, afinal essa foto vai para o quadro! Nego velho, cada dia que passa meu respeito e admiração por você aumentam mais. Amo você e toda sua família."

Os problemas de Diego, porém, não acabaram. Ele e Guerrero fizeram tratamento ontem, no Ninho do Urubu, por causa de lesões musculares. Eles serão reavaliados para saber se poderão jogar amanhã, contra o São Paulo. O camisa 9 e Trauco, convocados pelo Peru, perderão quatro jogos do Brasileiro por causa da repescagem das Eliminatórias. Já Diego, na Seleção, ficará fora de duas partidas.

Você pode gostar
Comentários