Vasco frustra a torcida no Maracanã

Diante de mais de 30 mil torcedores, time fica no 1 a 1 com o Coritiba e deixa escapar a chance de entrar no G-7

Por ALYSSON CARDINALI

A imensa do torcida do Vasco fez seu papel. Mas não está bem feliz. Os 30.351 presentes ontem ao Maracanã cantaram de coração e empurraram o time rumo à quarta vitória seguida no Brasileiro. O empate em 1 a 1, porém, frustrou os planos dos cruz-maltinos, que sonhavam entrar no G-7 e na briga direta por uma vaga na Libertadores. Os gols de Matheus Galdezani (contra) e Rildo ao menos mantiveram a invencibilidade de seis jogos do Vasco, em oitavo lugar no campeonato, com 43 pontos.

Sentindo-se em casa o agitado clima político na Colina tirou o jogo de São Januário , o Vasco partiu para cima do Coritiba. Sem cerimônia, dominou o adversário com forte marcação e investidas constantes no ataque. Não demorou para fazer 1 a 0. Nenê, aos 15 minutos, bateu escanteio e Matheus Galdezani, de cabeça, fez gol contra.

A vantagem, porém, acomodou o Vasco, que, embora com mais posse de bola, não conseguiu criar novas chances de balançar a rede. Já a equipe paranaense, seriamente ameaçada de rebaixamento (está no Z-4, em 18º lugar), nervosa e desfalcada, pouco chegava à meta de Martín Silva. O primeiro tempo terminou em ritmo de treino.

Apesar da sonolência no gramado, o meia Nenê festejou a vantagem, mesmo obtida através de um gol contra. "Eu bati direto para o gol e teve o desvio. O Zé Ricardo me falou isso, tentei chutar para o gol direto. Foi falado antes, tentei e deu certo", disse.

O Vasco começou o segundo tempo mais ligado. Logo aos 3 minutos, Wellington arriscou de fora da área e a bola passou rente à trave de Wilson. Aos 5, o goleiro do Coritiba fez um milagre em outro chute de Wellington, à queima-roupa.

Os dois lances acenderam a torcida. Mas, mesmo diante da inofensividade do Coritiba, o Vasco voltou a deixar o ritmo cair e erros de passe ficaram frequentes. Mateus Vital, aos 17, ainda obrigou Wilson a difícil defesa. Aos 21, porém, o Coritiba empatou. Rildo driblou Jean e chutou de fora da área, a bola desviou em Breno e morreu no ângulo de Martín Silva.

Aí foi a vez de o Vasco se abater. No desespero, o técnico Zé Ricardo mandou a campo Thalles, Guilherme Costa e Paulo Vitor, mas o Coritiba, fechado na defesa, ainda teve boas chances para virar o placar, principalmente após a expulsão infantil de Breno.

Galeria de Fotos

Abel Braga no treino do Fluminense LUCAS MERÇON/FLUMINENSE
Jogo entre Vasco X Coritiba pela 30ª rodada do campeonato brasileiro no Maracanã, Rj, 21 de outubro de 2017. Marcio Mercante / Agencia O Dia

Comentários

Últimas de Esporte