CLUBE PEDE INVESTIGAÇÃO DE INTERDIÇÃO DO ESTÁDIO

Por O Dia

Expulso do quadro social do Botafogo, o ex-presidente Maurício Assumpção é alvo de investigação pela interdição do Nilton Santos, em 2013. A atual diretoria apresentou uma notícia-crime contra o ex-dirigente, suspeito de favorecer a Odebrecht, gestora do Maracanã e beneficiária direta do fechamento do estádio.

O risco de desabamento da cobertura do Nilton Santos foi a alegação para a interdição da casa alvinegra. Porém, um estudo da DFA Engenharia e da Controlatto classificou como desnecessária a interdição do palco. No mesmo período, a Odebrecht concedeu empréstimo de R$ 20 milhões ao clube, "em condições suspeitas", segundo a nota oficial do Botafogo.

A dívida, que hoje ultrapassa a casa dos R$ 35 milhões, nunca foi cobrada, mas gera prejuízo aos cofres alvinegros. O Estádio Nilton Santos ficou fechado por dois dois anos, o que teria favorecido a gestora do Maracanã. Além de Assumpção, foram denunciados o ex-diretor geral do Botafogo Sérgio Landau e diretores da Odebrecht.

Comentários

Últimas de Esporte