EMPATE TRAVA OS DOIS

Por O Dia

Flamengo e Vasco não honraram a tradição do clássico. Lutaram, é verdade, mas luta só não basta. O espetáculo foi pobre e o pessoal da televisão teve trabalho para ocupar o espaço dos melhores momentos. Suando tudo, arrumaram 50 segundos, até cara ou coroa e arremesso lateral foram incluídos no cardápio. Os goleiros pouco trabalharam. O Vasco conseguiu mandar uma bola na trave, Paquetá e Vizeu (foto) tiveram chances e perderam. Foi tudo. O pior é que essa tem sido a marca do futebol brasileiro: jogos disputados entre intermediárias com raras incursões pelas áreas, no máximo bolas erguidas para tentar a sorte. Nas arquibancadas, o pouco público bocejando. Ação mesmo só nas ruas, onde gangues rivais, usando fantasias de torcedores, acertavam contas e tiravam diferenças entre tiros, bombas de efeito moral e gás de pimenta. Ao fim de hora e meia de mau futebol, um insosso 0 a 0, um pontinho para cada um. As torcidas mereciam algo melhor.

Comentários

Últimas de Esporte