Torcedores e futebol ficam longe do Maraca

Em clássico de pouco público e muitos chutões, Flamengo e Vasco fazem um péssimo 0 a 0 e marcam passo na tabela do Brasileiro

Por MARCELO BERTOLDO

Flamengo x Vasco no Maracanã pela trigesima primeira  rodada do Campeonato Brasileiro Severino Silva Ageniia
Flamengo x Vasco no Maracanã pela trigesima primeira rodada do Campeonato Brasileiro Severino Silva Ageniia - Severino Silva

Com o grito de gol preso na garganta do torcedor, Flamengo e Vasco não fizeram um bom negócio no empate em 0 a 0, no Maracanã. Marcado pelo baixo público e pouca emoção, o Clássico dos Milhões não manteve a tradição do saudoso passado. Mandante, o Rubro-Negro, com 47 pontos, perdeu a chance de se aproximar do G-4, enquanto o Vasco, de empatar com o arquirrival e embolar de vez a disputa por uma vaga na Libertadores e, em oitavo, com 44, pode ser ultrapassado por Atlético-MG e Atlético-PR.

No reencontro com Zé Ricardo, o Flamengo, mais uma vez, comprovou que a folha salarial e o investimento não fazem a diferença. Recheado de medalhões, a equipe comandada pelo técnico Reinaldo Rueda não empolgou o público presente.

Organizado, o Vasco conteve o adversário, mas teve muita dificuldade de atacar, como nos esporádicos chutes de longa distância.

Em duas velozes investidas de Everton, o Flamengo teve a chance de abrir o placar. Na melhor, Lucas Paquetá chutou rente à trave direita de Martín Silva. Muito pouco para o clássico de maior rivalidade no Rio nos últimos anos.

A expectativa de melhora no segundo tempo ficou somente no imaginário do torcedor. Tecnicamente, o clássico continuou deixando a desejar. Ligeiramente melhor, o Flamengo até tentava tomar a iniciativa. Faltou acertar a pontaria. Nenê, que contou com o desvio de Juan, quase abriu o placar. A bola explodiu na trave esquerda de Diego Alves, silenciando o esperado grito de gol.

Com a entrada de Vinicius Júnior e Felipe Vizeu no lugar de Everton e Paquetá, respectivamente, o Flamengo não melhorou o futebol apresentado, mas aumentou a pressão. O chute de fora da área de Arão obrigou Martín Silva a fazer grande defesa. A cabeçada de Juan assustou, bem menos do que a de Vizeu, sozinho.

Após perder Ramon, machucado, aos 39 minutos, o Vasco segurou a pressão. Como já havia feito as três substituições, sem muito efeito, a equipe jogou quase dez minutos com um homem a menos. O apito final do árbitro Ricardo Marques Ribeiro interrompeu o silêncio do clássico, que para a frustração do torcedor terminou sem gol, com pouca emoção e sem avanço na tabela.

Galeria de Fotos

Diego tenta tirar a bola do vascaíno Jean: clássico melhorou no segundo tempo, mas não empolgou Severino Silva
Flamengo x Vasco no Maracanã pela trigesima primeira rodada do Campeonato Brasileiro Severino Silva Ageniia Severino Silva

Comentários

Últimas de Esporte