Para não morrer de véspera

A um dia do feriado de Finados, Fla e Flu duelam por vaga na semifinal da Copa Sul-Americana. Rubro-Negros sobreviverão com um empate

Por O Dia

Diego, meia do Flamengo, treina no Ninho do Urubu
Diego, meia do Flamengo, treina no Ninho do Urubu - Gilvan de Souza/Flamengo

Flamengo e Fluminense jogam pelo ano todo, hoje, às 21h45, no Maracanã. Na véspera do Dia de Finados, quem for eliminado da Sul-Americana praticamente verá enterradas as pretensões para 2017. Já o time que avançar voltará, após longo jejum, a uma semifinal continental e ressuscitará a chance de derrubar outra escrita: a de títulos internacionais. O Rubro-Negro tem vantagem do empate, e uma vitória tricolor por 1 a 0 leva a disputa aos pênaltis. Qualquer outro resultado favorável conduzirá o clube das Laranjeiras à semifinal.

O título dá vaga na fase de grupos da Libertadores de 2018, objetivo de todo time grande do Brasil no início da temporada. Ao Flamengo, o Campeonato Brasileiro ainda é opção. Em sétimo, porém, o time não tem dado mostras de que terá forças para chegar ao G-4. O técnico Reinaldo Rueda aposta na evolução do seu trabalho e num elenco mais forte no ano que vem.

"O Flamengo deve ser mais forte para o próximo ano. Agora, futebol não dá tempo. Temos que cumprir evolução a cada dia. Em médio prazo eu falo em 2018. Mas longo prazo não existe no futebol", disse o técnico colombiano.

Do outro lado, o Fluminense, se cair hoje, tende a ficar até dezembro lutando contra o rebaixamento. Abel Braga, com os pés no chão, mostra ter consciência da realidade tricolor, ao relembrar o título da Taça Guanabara, o vice Carioca e as campanhas na Copa do Brasil e na Primeira Liga: "E agora chegamos a uma quartas de final de uma Sul-Americana. Não é pouco. Não é o que gostaríamos, não é o que o torcedor gostaria, mas é até onde temos condições."

Há 16 anos, o Flamengo não avança a uma semifinal de qualquer torneio que extrapole as fronteiras brasileiras. A última vez foi na Mercosul de 2001 o Rubro-Negro terminou com o vice-campeonato. Dois anos antes, conquistara seu último título internacional, na mesma competição. Já o Fluminense, que nunca levantou um caneco gringo, não vai tão longe desde a Sul-Americana de 2009, quando também ficou em segundo.

Galeria de Fotos

Gustavo Scarpa participou das 37 partidas do Flu na competição MAILSON SANTANA/FLUMINENSE
Diego, meia do Flamengo, treina no Ninho do Urubu Gilvan de Souza/Flamengo
Guerrero, atacante do Flamengo, treina na academia do Ninho do Urubu Gilvan de Souza/Flamengo

Comentários

Últimas de Esporte