Catalunha ameaça declarar independência na segunda

Eurocâmara pede por diálogo entre Barcelona e Madri. Discurso do rei desagrada aos organizadores do referendo da separação

Por O Dia

Os partidos separatistas da Catalunha preparam os últimos passos para a declaração unilateral de independência, provocando chamados ao diálogo da Comissão Europeia e uma forte queda da Bolsa de Madri. Na próxima segunda-feira, o presidente regional, Carles Puigdemont, deve comparecer perante o Parlamento catalão para avaliar os resultados do referendo proibido de domingo. "Em função do desenvolvimento da reunião, poderá ocorrer a declaração de independência", explicou uma fonte.

Puigdemont acusou ontem o rei da Espanha de ignorar "deliberadamente milhões de catalães" separatistas em seu discurso solene, proferido na véspera. "Assim não", respondeu diretamente Puigdemont ao rei Felipe VI, que em mensagem institucional de terça-feira acusou de "deslealdade" os líderes catalães que organizaram o referendo. "O rei perdeu ontem uma oportunidade de dirigir-se a todos os cidadãos a quem deve a Coroa", disse Puigdemont.

"O rei faz seu o discurso e as políticas do governo de Mariano Rajoy, que têm sido catastróficas com relação à Catalunha, e ignora deliberadamente milhões de catalães que não pensamos como eles", afirmou Puigdemont.

O governo central, por sua vez, não descarta suspender a autonomia da região.

A escalada da crise gera inquietação no continente e, pela primeira vez, a Eurocâmara debateu a questão. "Chegou o momento de dialogar, de trabalhar dentro da ordem constitucional da Espanha", disse o vice-presidente Frans Timmermans.

Galeria de Fotos

Dirigente Carles Puigdemont criticou ontem o discurso do rei Felipe VI AFP/LLUIS GENE
This handout picture released on October 3, 2017 by the Spanish Royal House (Casa Real) shows Spain's King Felipe VI addressing the nation on October 3, 2017 in Madrid, as the country grapples with its biggest political crisis in decades over an independence drive in Catalonia. The address by the head of state comes two days after Catalonia's regional government pressed ahead with a banned independence referendum despite a violent police crackdown that left scores injured. / AFP PHOTO / CASA REAL / Francisco Gomez Casa Real / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT "AFP PHOTO / HANDOUT CASA REAL / FRANCISCO GOMEZ " - NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS AFP/CASA REAL/Francisco Gomez

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência