Atirador de Las Vegas também considerou Boston e Chicago

Stephen Paddock alugou quarto para o Lollapalooza, ao qual filha de Obama compareceu

Por O Dia

O atirador de Las Vegas, que executou o maior massacre com arma de fogo da história recente dos Estados Unidos, também considerou a possibilidade de perpetrar ataques em Chicago e Boston. E a tragédia no festival de música country, em que 59 pessoas morreram, poderia ter sido muito maior: tiros de fuzil disparados por Paddock chegaram a perfurar tanques de combustível de aviação próximo ao local do show.

Em agosto, Stephen Paddock reservou dois quartos para o festival Lollapalooza no Hotel Blackstone, em Chicago, que tem vista para o grande parque do Centro da cidade, onde o famoso evento (que tem filial em São Paulo) ocorreu. O apostador e contador aposentado de 64 anos também procurou por hotéis próximos ao estádio de beisebol Fenway Park, em Boston, mas não houve indícios de que tivesse viajado.

As autoridades descobriram o interesse de Paddock nessas duas cidades ao examinar sua comunicação e equipamentos eletrônicos. Milhares de pessoas foram ao Lollapalooza, no Grant Park, incluindo Malia Obama, filha do ex-presidente Barack Obama. Paddock nunca apareceu para sua reserva em Chicago, mas o período de 2 a 5 de agosto poderia ter dado a ele uma oportunidade similar à do festival de domingo.

Mais de 500 pessoas ficaram feridas e 59 morreram quando Paddock atirou da janela de um hotel na direção da multidão que participava de um show de música country. Investigadores declararam que o ataque foi meticulosamente planejado e que o terrorista queria fugir mas foi encurralado pela polícia no quarto do hotel de onde atirou contra a massa de 22 mil pessoas.

Não se sabe ainda se Paddock queria atingir os tanques de combustível que servem às aeronaves do Aeroporto Internacional McCarran e estavam em sua linha de tiro. A quantidade de explosivos encontrada em sua casa, porém, sugere que o contador cogitou transformar seu carro numa bomba.

Maratona sob alerta

As notícias sobre a conexão com Chicago levaram os oficiais a reforçar a segurança de uma maratona que acontecerá no fim de semana, e onde são esperados mais de um milhão de espectadores e cerca de 40.000 participantes. "Estamos constantemente revisando e fazendo perguntas fundamentais", disse o prefeito Rahm Emanuel, acrescentando que a maratona ocorrerá como o planejado.

O Departamento de Polícia enviou mais de 1.000 agentes para a mobilização de segurança da maratona.

"Uma das coisas que estamos fazendo é colocar um número significativo de oficiais à paisana", afirmou Anthony Riccio, chefe do Departamento de Crime Organizado da Polícia de Chicago.

"Eles estarão misturados na multidão. Estarão próximos aos corredores", declarou Riccio.

Galeria de Fotos

Voluntários trabalham na construção de memorial às 59 vítimas do tiroteio de domingo em Las Vegas AFP/Robyn Beck
Stephen Craig Paddock: louco Divulgação
Tanques de combustível para aviões foram atingidos por balas Ethan Miller/Getty Images/AFP

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência