Papa canoniza mártires do Rio Grande do Norte

Pontífice anunciou também Sinodo de Bispos para a Amazônia; a reunião irá discutir temas como a questão dos indígenas e a preservação das florestas

Por O Dia

O papa Francisco anunciou na manhã de ontem a convocação de um Sinodo de Bispos para a Amazônia, durante a missa de canonização de 30 mártires católicos brasileiros, na Praça de São Pedro. O Sinodo vai se reunir em Roma, em outubro de 2019. "Que os santos hoje canonizados intercedam pelo êxito do Sinodo", disse o Papa Francisco, referindo-se especialmente aos mártires brasileiros.

MASSACRES

Os brasileiros canonizados são os "mártires do Rio Grande do Norte", ou "mártires de Cunhaú e Uruaçu", assassinados em 1645 em dois massacres, ambos ocorridos naquele ano, época das invasões holandesas e portuguesas ao Brasil.

As mortes ocorreram na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, município de Canguaretama; eem Uruaçu, comunidade do município de São Gonçalo do Amarante. Os trinta mortos haviam sido beatificados pelo Papa João Paulo II em 5 de março de 2000, e em 23 de março de 2017 o Papa Francisco há havia autorizado que eles fossem canonizados.

Foram declarados santos também os três "meninos Mártires de Tlaxcala (México)", assassinados entre 1527 e 1529. E o padre espanhol Faustino Míguez (1831-1925). E o frade italiano Angelo da Acri.

INDÍGENAS

O Sinodo discutirá os desafios da Região Amazônica, especialmente a questão dos indígenas e a preservação das florestas. O anúncio surpreendeu até o cardeal d. Claudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo e atual presidente da Comissão da Amazônia, da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O Papa Francisco disse convocar o Sinodo em atendimento a pedido de conferências episcopais de vários países. O Sinodo é uma reunião que debate questões desafiadoras para a Igreja e apresenta sugestões ao papa. Além de eclesiásticos, leigos e especialistas podem ser convidados a participar dos debates.

TEMER DIVULGA NOTA

O presidente Michel Temer divulgou nota sobre a canonização. "A Igreja Católica decidiu canonizar 30 mártires que, no Brasil do século XVII, deram a vida em nome da fé, em nome da devoção. São heróis que já são justamente honrados em nosso querido Rio Grande do Norte. São homens e mulheres que, beatificados por São João Paulo II, tornam-se, agora, os primeiros Santos mártires do Brasil", disse.

Galeria de Fotos

US President Donald Trump speaks about the Iran deal from the Diplomatic Reception room of the White House in Washington, DC, on October 13, 2017. Trump announced he will not certify the Iran nuclear deal and warned that the US could leave the Iran deal 'at any time.' / AFP PHOTO / Brendan Smialowski AFP
Papa Francisco na missa de canonização: trinta mártires brasileiros mortos em 1645, além de um padre espanhol e um frade italiano AFP

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência