Por

O papa Francisco anunciou na manhã de ontem a convocação de um Sinodo de Bispos para a Amazônia, durante a missa de canonização de 30 mártires católicos brasileiros, na Praça de São Pedro. O Sinodo vai se reunir em Roma, em outubro de 2019. "Que os santos hoje canonizados intercedam pelo êxito do Sinodo", disse o Papa Francisco, referindo-se especialmente aos mártires brasileiros.

MASSACRES

Os brasileiros canonizados são os "mártires do Rio Grande do Norte", ou "mártires de Cunhaú e Uruaçu", assassinados em 1645 em dois massacres, ambos ocorridos naquele ano, época das invasões holandesas e portuguesas ao Brasil.

As mortes ocorreram na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, município de Canguaretama; eem Uruaçu, comunidade do município de São Gonçalo do Amarante. Os trinta mortos haviam sido beatificados pelo Papa João Paulo II em 5 de março de 2000, e em 23 de março de 2017 o Papa Francisco há havia autorizado que eles fossem canonizados.

Foram declarados santos também os três "meninos Mártires de Tlaxcala (México)", assassinados entre 1527 e 1529. E o padre espanhol Faustino Míguez (1831-1925). E o frade italiano Angelo da Acri.

INDÍGENAS

O Sinodo discutirá os desafios da Região Amazônica, especialmente a questão dos indígenas e a preservação das florestas. O anúncio surpreendeu até o cardeal d. Claudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo e atual presidente da Comissão da Amazônia, da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O Papa Francisco disse convocar o Sinodo em atendimento a pedido de conferências episcopais de vários países. O Sinodo é uma reunião que debate questões desafiadoras para a Igreja e apresenta sugestões ao papa. Além de eclesiásticos, leigos e especialistas podem ser convidados a participar dos debates.

TEMER DIVULGA NOTA

O presidente Michel Temer divulgou nota sobre a canonização. "A Igreja Católica decidiu canonizar 30 mártires que, no Brasil do século XVII, deram a vida em nome da fé, em nome da devoção. São heróis que já são justamente honrados em nosso querido Rio Grande do Norte. São homens e mulheres que, beatificados por São João Paulo II, tornam-se, agora, os primeiros Santos mártires do Brasil", disse.

Você pode gostar
Comentários