Rei volta a criticar catalães

Por O Dia

O governo espanhol preparava ontem as medidas concretas para intervir na autonomia da Catalunha, em resposta ao desafio de independência, o que pode culminar em eleições regionais antecipadas no início de 2018. Faltando poucas horas para o anúncio das medidas, os máximos dirigentes do país elevaram o tom: o rei Felipe VI denunciou que a Espanha vive "uma inaceitável tentativa de secessão" e o chefe de governo, Mariano Rajoy, afirmou que chegou-se "a uma situação limite".

No mesmo ato em que o monarca se pronunciou em Oviedo (norte), o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, reiterou veladamente a oposição do bloco a uma secessão unilateral da Catalunha, ao atacar aqueles que "semeiam a discórdia ignorando voluntariamente as leis".

A equipe de Rajoy negocia há dias com os socialistas, a principal força opositora, a aplicação do Artigo 155 da Constituição. Este permite intervir total ou parcialmente nas competências de uma região para obrigá-la ao "cumprimento forçado" da legalidade.

As medidas a serem adotadas serão apresentadas no sábado em um conselho extraordinário de ministros e, a partir daí, serão submetidas no final do mês à aprovação do Senado, onde os conservadores do Partido Popular (PP) têm maioria.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência