Desonra e suicídio

Por Ruy Chaves Especialista em Educação

O político norte-americano Robert Dwyer em 1987 cometeu suicídio com um tiro na boca durante entrevista transmitida ao vivo por várias emissoras de televisão. Acusado de receber propina de U$ 300 mil, na véspera de sua sentença, que poderia chegar a 55 anos de prisão mais a devolução do valor obtido ilegalmente, após ter insistido em sua inocência e recusado a oferta de delação premiada no máximo cinco anos de prisão em troca de confissão de culpa, retratação pública e cooperação com as investigações , Dwyer não suportou lidar com sua desonra e chocou o mundo com o gesto brutal.

Em 2007, Toshikatsu Matsuoka, deputado e ministro no Japão, enforcou-se com uma correia de cachorro. A Justiça provou que seu comitê eleitoral recebera propina de U$ 107 mil de empreiteiras favorecidas em licitações e que ele teria se apropriado de U$ 165 mil referentes a contas de luz e gás de organização pública que administrava, além de US$ 16 mil em suborno. Claro, o suicídio foi um duro golpe para o então premiê, Shinzo Abe, que sempre defendeu seu protegido que amava marcas especiais de água mineral que custavam U$ 40 a garrafa e em oito meses no poder enfrentou vários escândalos envolvendo membros do seu governo. Matsuoka entendeu que desonrara a sua vida, que desonrara a sua família e a própria nação japonesa: "Estou dolorosamente consciente de minhas responsabilidades. É meu dever que tal ato não se reproduza", escreveu o ministro suicida.

As vantagens ilegais e imorais trapaceadas por Dwyer e Matsuoka são meras gorjetas comparadas aos crimes praticados no Brasil por bandidos travestidos de políticos, empresários e servidores públicos que loteiam e arruínam o país. Graças a essa gente do mal que vende sua alma ao diabo, estamos sob taxas recordes de desemprego, violência por toda parte, escolas, hospitais, rodovias e transportes públicos degradados; não temos saneamento básico. Roubaram até os nossos sonhos! Na Lava Jato estão enrolados o presidente da República, ex-presidentes, ministros, senadores, deputados, governadores, prefeitos, tesoureiros de partidos, homens das malas, empreiteiros, servidores públicos, que vergonha! Que estes criminosos presos ou ainda em liberdade dizem a seus filhos, pais e amigos? Dormem em paz? Por que muitos não lavam sua honra e ...? Panta rei.

Comentários

Últimas de Opinião