Mais de 2 mil abordagens

Por O Dia

Muitos donos de cães defendem a presença dos peludos nas areias, sem dar bola para a lei que proíbe, mas não prevê multa. De janeiro a 12 de setembro deste ano, guardas municipais do Grupamento Especial de Praia (GEP) fizeram 2.102 abordagens a banhistas com cães, uma média de oito por dia.

"Fere o direito de ir e vir nosso, extenso aos animais. Meu cachorro é vacinado, coleto as necessidades dele. As pessoas jogam lixo e restos de comida, e o problema são os animais?", protestou a psicóloga Maria Lúcia, 53 anos, que estava ontem na Praia Vermelha, na Urca. O cão não vermifugado pode defecar na areia e disseminar o bicho geográfico, entre outras doenças.

O desrespeito à lei para a Guarda gera violência. Em 10 de julho, Demétrio, do GEP, foi esfaqueado nas costas por dono de cão que se recusou a tirar o animal da areia da praia da Barra. "Os cães e outros animais domésticos são queridos pelos seus proprietários, mas as regras precisam ser respeitadas", defendeu Wanderson Sermud, comandante do GEP na Zona Oeste.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro