Sem as Forças Armadas, Rocinha volta a ter tiroteio

No Babilônia, no Leme, soldados do Exército fazem patrulhamento

Por O Dia

No terceiro dia após a saída das Forças Armadas da Rocinha, os tiroteios voltaram a ocorrer na comunidade ontem. De acordo com a PM, o confronto aconteceu pela manhã na Rua 1, entre bandidos e policiais do Batalhão de Choque, que estavam vasculhando o local.

A PM informa que mais de 500 policiais atuam no cerco, no interior da comunidade e em ações de patrulhamento dos batalhões de Choque e de Operações Especiais.No Vidigal, vizinho à Rocinha, houve operação do Batalhão de Ações com Cães (BAC).

Em outras comunidades com UPPs também ocorreram tiroteios. PMs foram atacados pela manhã enquanto se deslocavam para a troca de turno em base na Cidade de Deus. Segundo o comando das UPPs não houve feridos.

À tarde, moradores do Morro da Babilônia, no Leme, relataram tiroteios e até a atuação de soldados das Forças Armadas no confronto. Segundo o Comando Militar do Leste, os militares que moram na Vila Militar da Babilônia reforçaram a segurança da comunidade após verem homens armados circulando no morro. A UPP negou confronto entre PMs e bandidos no local.

Galeria de Fotos

A carga tinha 2.150 munições prf/ Divulgação
Policiais militares montam bloqueios nos acessos à Rocinha DIVULGAÇÃO PM

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro