Comerciante é morto após assalto em Realengo

Três homens renderam José Heron, que teria sido confundido com um policial

Por O Dia

O comerciante José Heron de Moraes, de 47 anos, foi morto a tiros em Realengo, na manhã de ontem, após um assalto. Segundo Pedro Vieira, 50 anos, irmão da vítima, três homens renderam José na Rua Anatole France, na porta da casa onde ele estava hospedado, enquanto esperava um carro do Uber que o levaria para visitar uma de suas filhas, internada para uma cirurgia de apendicite. Após a abordagem, um dos bandidos mandou que ele deitasse no chão e atirou sete vezes. A polícia investiga se Heron foi executado por ter sido confundido com um policial.

Ainda de acordo com Pedro, uma de suas irmãs e um cunhado viram o criminoso apontar a arma para Heron. "Minha irmã ia tentar impedir, mas meu cunhado não deixou para protegê-la", contou Vieira. O comerciante morava em Bananeiras, na Paraíba, e saiu do Rio justamente pela violência.

"Ele se mudou por conta da falta de segurança, chegou ontem a noite (na segunda-feira) e aconteceu isso", lamentou o irmão.

O motorista do Uber, que não quis ser identificado, chegou a socorrer o comerciante e levá-lo para a UPA Jardim Novo, sub-bairro de Realengo, mas ele não resistiu aos ferimentos. José Heron era casado e tinha duas filhas. Até ontem, a família tentava agendar o enterro para o Cemitério Jardim da Saudade, em Paciência.

O caso foi registrado na 33º DP (Realengo) e encaminhado para a Delegacia de Homicídios da Capital (DH). De acordo com a Polícia Civil, a perícia foi realizada no local. Policiais buscaram imagens de câmeras que tenham flagrado a ação no entorno do crime e ouviram testemunhas para tentar esclarecer o caso.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro