Bandidos sequestram van escolar para fugir da PM

Duas crianças estavam no veículo a caminho da escola, no Jóquei, em São Gonçalo

Por RAFAEL NASCIMENTO

A inocência de um menino de quatro anos brincando no chão da 75ª DP (Rio do Ouro) não condizia com o que havia acontecido com ele horas antes. É que pelo menos dez bandidos com pistolas sequestraram a van escolar em que ele e outras três pessoas estavam, no Jóquei, em São Gonçalo na manhã de ontem. Os criminosos fugiam de uma operação do 7º BPM (São Gonçalo) no Complexo do Jóquei, quando abordaram o veículo que passava perto da Estrada da Dita. No final da tarde, na comunidade da Mangueirinha, um homem foi preso e um menor apreendido, apontados como suspeitos do sequestro. Com eles foram encontradas uma pistola, drogas e radiotransmissores.

O sequestro do transporte foi por volta das 7h10, quando duas crianças uma de 4 e outra de 11 anos , além do motorista e a monitora seguiam para as escolas. Armados, os bandidos exigiam que o motorista os tirassem dali. "Eles tinham entre 16 e 25 anos. Eu tentei passar calma e seguir a ordem", declarou o motorista, que preferiu não se identificar. Segundo ele, um dos criminosos estava muito nervoso. "Ele dizia: esse carro não anda? Mas aí um outro falou: Calma, nós não queremos machucar vocês. Só queremos sair daqui".

O destino dos bandidos era a favela do Capote, no mesmo município, mas ao notarem a presença de uma patrulha, eles abandonaram a van e seguiram em um carro que dava cobertura na ação. Na fuga, a menina de 11 anos foi deixada pelos criminosos em sua creche, a Pedacinho do Céu.

Policiais conseguiram resgatar a outra criança, a monitora e o motorista após quinze minutos perto dali. "Foi um susto muito grande. Ele (o menino de 4 anos) nem notou o que estava acontecendo", disse o irmão da criança, que também não quis se identificar.

De acordo com a 75ª DP, os bandidos seriam do Comando Vermelho e teriam saído de comunidades do Rio. "Eles queriam chegar na outra comunidade, pois sabiam que se permanecessem onde estavam seriam presos", destacou o comandante do 7º BPM, coronel Ruy França.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro