No caminho da expansão

Ciclovias em Sepetiba e no Recreio serão ampliadas, totalizando mais 6,7 quilômetros. No Centro, Prefeitura do Rio estuda o aumento das ciclofaixas

Por O Dia

Quem usa a bicicleta como meio de transporte já pode contar com 450 km de ciclovias em todas as zonas da cidade, mas os ciclistas querem mais. E vão ganhar. A Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente (Seconserma) do Rio promete expansão, ainda neste ano, com mais 3,2 kms de ciclovias em Sepetiba e a ampliação em 3,5 kms da faixa do Recreio. O aumento da ciclovia do Centro também está sendo estudado.

Além disso, o Plano Diretor Cicloviário, que vai avaliar a atual rede de ciclovias e identificar a demanda por novas rotas, está em fase de elaboração. O documento deve ser lançado em até um ano. A proposta vai ao encontro das demandas do casal Andrei Francalacci e Alessandra Menza, moradores de Laranjeiras e ciclistas habituais.

"Tem que ter mais conversa com quem usa bicicleta. Por exemplo, às vezes estamos na ciclovia e ela acaba de repente. Elas precisam ser interligadas. E sinto falta de um mapeamento das ciclovias para ajudar no planejamento", defendeu Andrei.

Outra preocupação do casal é a questão da segurança ao pedalar. "Antigamente minha esposa insistia que eu fosse trabalhar de bicicleta, hoje insiste que eu não vá", disse Andrei. "Eu gostaria de ter uma bike mais leve, que seria mais cara, mas por medo de assaltos não tenho coragem, fico com um modelo básico. Tenho até amigos que pintam a bicicleta de laranja, para fingir que é a bicicleta alugada do Bike Rio", lamentou Alessandra.

Além da violência urbana, eles também relataram problemas com a segurança no trânsito, como a invasão das ciclofaixas por motociclistas e motoristas. Essa é uma infração recorrente, segundo a Guarda Municipal (GM). "Em 2016 aplicamos 820 multas por estacionamento irregular nestes locais. Em 2017 já foram aplicadas mais de 460 multas por essa irregularidade", informou a área técnica da GM, em nota.

Também é comum ver ciclistas ferindo as normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que determinam, por exemplo, a obrigatoriedade de refletores noturnos na bicicleta na frente, atrás, dos lados e nos pedais do veículo, uma campainha acoplada ao guidão e um espelho retrovisor do lado esquerdo, artigo raro entre os veículos vistos nas ruas.

Segundo a área técnica do Denatran, estão sendo realizados estudos para viabilizar a aplicação de multas e outras penalidades a infrações cometidas por ciclistas e pedestres, conforme previsto no CTB. As novas normas devem ser publicadas ainda neste ano. "Fazemos trabalhos constantes de orientação, pois no momento não há determinação de aplicação de multas a ciclistas infratores", apontou a nota da Guarda Municipal.

Entre as infrações previstas no CTB que poderão ser fiscalizadas mais de perto com a mudança, estão o transporte de cargas incompatíveis com a bicicleta, transporte de caronas sem garupa adequada e de crianças pequenas sem cadeirinha. O trânsito em calçadas e entre os carros, uso de fones de ouvido e telefones celulares também estão na mira, além das 'bandalhas', como deixar de sinalizar ao virar ou ultrapassar, trânsito na contramão e desrespeito aos sinais vermelhos.

Andrei e Alessandra concordam com a nova fiscalização. "São várias questões. Com o VLT e as ciclofaixas de mão dupla, por exemplo, as pessoas precisarão se habituar a olhar para os dois lados sempre. Ainda está no começo, mas está se criando uma cultura em torno disso. A cidade está mudando".

Em clima de melhoria da qualidade de vida dos ciclistas, o Rio de Janeiro receberá, no ano que vem, a Conferência Velo-City, um grande evento bienal internacional sobre mobilidade urbana sustentável. É a primeira vez que a programação virá a um país latino-americano. A última edição do evento foi realizada em Amsterdã, na Holanda. O tema principal da conferência será o 'Acesso à vida', com discussões sobre inclusão do ciclismo no aspecto da qualidade de vida e geração de economia viva.

Segundo a Seconserma, entre os dias 12 e 15 de junho de 2018 serão realizadas palestras e workshops para promover troca de experiências entre ciclistas do mundo todo e debater o uso da bicicleta. O evento é organizado pela Confederação de Ciclismo da Europa. Mais informações estão disponíveis no site oficial do evento, na página velo-city2018.rio.

Esçprevam dolor sit vix et labiturppçç est

Nat rem qui omnimusda del eum eius porum dia et, eaquodit opta dolorepellam dolorem quost adit, temporitat.

Ecatur, iunt lat laut vel ma doloria dolectu riosam experrum essimodipsa pores eum alitatio iderum et ea cor aut eum debis aut ut et ut fugiam est, ad molorem possuntus arcitas sitaqui simi, officiduci conse imentibus es eos et late nonsequodi quam everem iuntest, si cum ulpa vellante ommos eleste sin rem dunturi con expero doluptas vel id qui torporp oreiunt velique ped ut harchit, optam ipist rererum quidis ex excerrorita doluptatqui alibus magnihil iusdae pelessim aspeliatur? Quia quo que volo totature as vel ium ent, accus volore endXimihil hicula egeris

Título corpo 16 alinhado à

"Suscipit risus. In urna nulla, scelerisque nec, ullamcorper eu, fringilla sit amet, magna. Fusce quam nulla, iaculis In adipiscing tortor id nibh. Nulla tincidunt cus bulum anjaoeijr poejr paoirj apoeijrpaoejr paoeijr patincidunt rhoncus bulum ante.

"Suscipit risus. In urna nulla, scelerisque nec, ullamcorper eu, fringilLoc tris. Satimum ad nonsumIs. Obus aliae obus bonihiliis, P. Nosti, Catides huiden vivastrum iam ta in pere inatus, andac tem ublicio nonsulatia ca vignos enatis patu vastis, pos fessusq uaster quos omnequium hora que prox nonveri tatus, sigitastiam moventis hum ocusper esimmoltu se publi, quit Catiam tum perbi sili coterem ideliam merbis. Vivissu locchuit. An dio, con sceredii publin siliusum publicae potasta vocurac tus audentr entebunt fuidem hil hiliuri ssimus, quam omplis acchus, et at vocae paturnius; et ignatimorem. Catimenat, nequo ublintervis is publina, utero, Ti. Si sultiquam incum prariciam notium det potalicieni cum ina, conotis sigilis nonequam dem ad nostam nent, quonfer feconfi rivivic onsules cesciempl. Nihicioc, noc, stiam involussa incerio ritant vis. Vis ium nox sena, Catifecum ta nequideessit L. Quonsus intra, nost peris tandiur, Catus certur averit. Huium ia nonsum mantidin aucem nem vilicum, Cates fines cone tum ponemur. Ad firionsul confecu ltodiostions liam det vivivit ienes! Vivigilium iam, sedius; itat vir locus Mae eo, perum poenarei senim eorem iusa caellem patilicio aperra coenterite te auciend iemperoxim orum qui ingules tratum.

Quon su veris comnerc estrat Catu curbefe ntrisse prare nos cusci culvit.

Ratia nos iam avoc manum dierici patus moen ta ocripimo notia vit poternum

Galeria de Fotos

Rio, 04/10/2017- Dominical / Matéria especial sobre ciclismo na cidade do Rio de Janeiro. Os ciclistas Andrei Francalacci e Alessandra Menza na rua das Laranjeiras. Foto - Maíra Coelho / Agência O Dia Maíra Coelho / Agência O Dia
Rio, 04/10/2017- Dominical / Matéria especial sobre ciclismo na cidade do Rio de Janeiro. Os ciclistas Andrei Francalacci e Alessandra Menza em Laranjeiras. Foto - Maíra Coelho / Agência O Dia Maíra Coelho / Agência O Dia
Na Rua da Passagem, em Botafogo, ciclistas dividem espaço da ciclofaixa com mesas de restaurantes Maíra Coelho / Agência O Dia
Motoristas desrespeitam ciclovia na Rua das Laranjeiras, no trecho com a Rua Pinheiro Machado Maíra Coelho / Agência O Dia
O casal de ciclistas Andrei Francalacci e Alessandra Menza pedem ciclovias interligadas e o mapeamento para facilitar os trajetos. Eles também criticam a falta de segurança devido a imprudência de motoristas Maíra Coelho / Agência O Dia

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro