POrtela

Por O Dia

Vamos simbora, povo vencedor/ Contar a mesma história/ Sou nordestino, estrangeiro, versador/ Ê, ê, ê, viola/ Vem do arrecife 'ôio' azul, cabra da peste/ No doce do meu agreste, querendo se lambuzar/ Oi, o mar, maré de saudade, Oi, o mar/ Pedindo paz a Javé, perseguido na fé/ O imigrante veio 'trabaiá'/ Oh, saudade que vai na maré/ Passa o tempo e não passa a dor/ E um dia Pernambuco seu irmão reconquistou/ Luar do sertão, ilumina/ Pra quem deixou esse chão, triste sina/ Ô, 'cumpadi', em seu peito leva um dó/ Cada um em seu destino e a tristeza dá um nó/ Vixe, Maria, lá no meio do caminho/ Tem pirata no navio/ O pagamento não foi ouro nem foi prata/ Essa gente aperreada foi seguindo/ Ô, gira ciranda, vai a chuva vem o sol, deixa cirandar/ Entra criança, homem, muié/ No abraço dessa terra só não fica quem não quer/ É legado, é união, é presente, igualdade/ É "Noviórque" pedestal da liberdade/ A minha Águia em poesia de cordel/ 22 vezes minha estrela lá no céu/ Lá vem Portela, é melhor se segurar/ Coração aberto quem quiser pode chegar/ Vem irmanar a vida inteira/ Na campeã das campeãs em Madureira

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro