A Polícia Militar pede socorro

Após morte de comandante do Batalhão do Méier, em tentativa de assalto, PM chama as Forças Armadas

Por MH

O Coronel Luiz Gustavo Teixeira estava em um carro descaracterizado, na Rua Hermengarda, no Méier, quando foi atingido no peito. A Delegacia de Homicídios investiga o caso
O Coronel Luiz Gustavo Teixeira estava em um carro descaracterizado, na Rua Hermengarda, no Méier, quando foi atingido no peito. A Delegacia de Homicídios investiga o caso - Jotta Mattos/Parceiro/Agência O Dia

Em plena luz do dia, o comandante do batalhão do Méier,coronel Luiz Gustavo Teixeira, 48 anos, foi morto a 750 metros da sede da sua unidade. Ele foi vítima de um assalto na rua Hermenengarba, possivelmente morto com uma pistola que usava um kit rajada, arma que dispara 32 tiros de uma única vez.

Poucas horas depois, o policial Djalma Pequeno, foi morto em outro assalto em Guadalupe, na Zona Norte. Com esses dois assassinatos, subiu para 112 o número de agentes mortos esse ano uma média de um policial a cada dois dias e meio.

"Nós não podemos aceitar a morte de policiais como um fato natural. Eu já disse e repito. Atentar contra a vida do policial é atentar contra a soberania do Estado. É um ato de terrorismo. Nós não podemos aceitar isso de forma natural.

Roubos a comércio, dobraram na região do meier, arrastoes roubos de carro e comperi

dobraram comporta, s

relatório da ocorrência do batalhão da área diz que um carro que vinha na frente da viatura parou no meio da via. Depois, os bandidos desembarcaram para iniciar um arrastão. Houve troca de tiros e o oficial levou um tiro de fuzil no peito e o motorista foi atingido na perna. No Twitter, a corporação caracterizou o fato como um atentado.

O motorista também é um policial, que fazia a segurança do comandante, e teria sido baleado. Teixeira, que foi alvejado no peito, chegou a ser levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas já chegou morto na unidade. Já o outro PM, identificado como Nei Filho, passou por uma cirurgia na unidade e não corre o risco de morrer. Ele foi transferido para o Hospital da Polícia Militar, no Estácio.

Operação da PM no Grande Méier

A Polícia Militar começou uma operação com 130 policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins para cercar os acessos às comunidades do Lins, Camarista-Méier e São João. A estrada Grajaú-Jacarepaguá foi fechada nos dois sentidos por causa da operação policial. O Centro de Operações da Prefeitura (COR) pede para os condutores evitarem a região. Os motoristas devem optar pelo Alto da Boa Vista ou Linha Amarela. A Rua Lins dos Vanconcelos, na altura da Rua 24 de Maio, também chegou a ser interditada, mas já foi liberada.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro