Preso por roubar casa de Pezão

Por O Dia

Do outro lado da cidade, na Zona Sul, policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e de 15 delegacias participaram de uma operação, na Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana, para prender assaltantes de casas de luxos. Na ação, três suspeitos foram presos. Entre eles, Leonardo da Costa Espíndola, conhecido como Leleo, acusado de liderar a quadrilha que roubou o apartamento do governador Luiz Fernando Pezão em maio.

Contra Leleo havia quatro mandados de prisão por roubo, todos na área da 14ª DP (Leblon) e da 15ª DP (Gávea). Três outros suspeitos, entre eles um menor de 16 anos, também teriam participado do crime, mas ainda continuam foragidos. Segundo a polícia, a quadrilha atuava em bairros da Zona Sul, como Leblon, Lagoa e Ipanema. Delegado assistente da 14ª DP, Carlos Abreu explicou que a ação tinha o objetivo de cumprir mandados de prisão na comunidade. Os alvos principais eram assaltantes de residências e lojas comerciais, além de traficantes de drogas que se associam a eles com o fornecimento de armas.

A violência na cidade fez com que 37 unidades da rede municipal de ensino do Rio fechassem as portas ontem e deixassem mais de 12 mil alunos sem aulas em 19 escolas, nove creches e nove Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs). As mais prejudicadas foram as crianças que estudam no Complexo da Maré. Nas favelas da Nova Holanda, Parque União e Rubens Vaz, onde o Batalhão de Choque fez a operação para combater o tráfico de drogas, mais de oito mil estudantes não puderam sair de casa.

Na Zona Oeste, na Praça Seca, onde a PM fez outra operação para combater o tráfico de drogas, quase 600 crianças não tiveram aula.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro