Feira Agroecológica da Agricultura Familiar - divulgação
Feira Agroecológica da Agricultura Familiardivulgação
Por LUIZ ALMEIDA

Paty do Alferes sempre foi conhecida como a 'capital' do tomate do Estado do Rio. Mas a monocultura da fruta ficou no passado. Em 2017, a cidade decidiu apostar no cultivo de outros alimentos. Para escoar toda a nova produção, passou a realizar a Feira Agroecológica da Agricultura Familiar, que estreou em 7 de outubro e acontece todos os sábados na Praça George Jacob Abdue, no Centro de 9h às 13h.

No total, são oferecidos 57 novos produtos, conforme levantamento feito pelo Sebrae. E participam da feira produtores tradicionais e orgânicos (de verduras, legumes e frutas), agroflorestais (plantas e flores) e agroindustriais, que fabricam mel, cachaça, doces e queijos.

De acordo com o prefeito Juninho Bernardes, que também é o idealizador do programa, a feira demonstra que Paty do Alferes é capaz de produzir cultivos diversos e de maneira sustentável, marcando uma nova etapa da agricultura local. "Apoiar a agricultura familiar e ao mesmo tempo promover a boa alimentação da população, cuidando do meio ambiente, é o objetivo da feira", destaca.

Ainda segundo Bernardes, a feira também é uma forma de movimentar a economia de Paty do Alferes. Isso porque, a cada 15 dias, são distribuídos aos 1,2 mil servidores municipais um vale no valor de R$ 25. A quantia é para ser usada exclusivamente na compra de produtos da própria feira.

O prefeito conta que a ideia de adotar a distribuição de vales aos servidores municipais foi inspirada nos exemplos de algumas cidades do Espírito Santo, que utilizam tal método. "Com a distribuição, injetamos R$ 60 mil por mês na economia local, incentivando os produtores e fixando o dinheiro na cidade", ensina Bernardes.

O prefeito ainda acrescenta que a intenção é capacitar cada vez mais os produtores locais de Paty do Alferes e ensinar novas técnicas de cultivo. Outro objetivo é incentivar a produção orgânica na cidade e tornar a feira referência no Estado do Rio. "Futuramente, nossa feira poderá virar um atrativo turístico", vislumbra Bernardes.

Você pode gostar
Comentários