Idosos não se sentem 'velhos'

Maioria dos brasileiros lida bem com o avanço da idade, apesar do temor da solidão, diz pesquisa

Por Camilla Muniz

O médico Alexandre Kalache diz que é preciso se preparar para a velhice
O médico Alexandre Kalache diz que é preciso se preparar para a velhice - Divulgação/Bayer

Embora ainda seja cercado de medos, o envelhecimento só assusta 14% dos brasileiros acima de 55 anos. É o que mostrou uma nova pesquisa da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) - São Paulo, em parceria com a Bayer, realizada este mês em dez capitais do país, incluindo o Rio de Janeiro. Mais da metade (54,3%) dos dois mil entrevistados afirmou não se considerar 'velho', e 32,2% se sentem bem com o avanço da idade. Os resultados do estudo foram divulgados na semana passada, em São Paulo. 

Para isso, os idosos têm cuidado da saúde: 51,2% vão ao médico mais de uma vez ao ano, 33,1% comem de três a quatro porções de vegetais e frutas por dia e 38,5% se exercitam de uma a duas vezes por semana. Além disso, 77,5% leem um livro ou fazem alguma atividade desafiadora para o cérebro semanalmente, e 50,5% vão a eventos sociais entre uma e duas vezes por semana. 

Entretanto, a solidão é o maior temor do brasileiro à medida que os anos passam: essa é a pior perspectiva para 29,3% da população madura, enquanto 24% têm receio de desenvolver uma doença grave. Ter problemas de saúde mental, depender financeiramente dos filhos e não andar ou enxergar foram outros medos citados. "O desconhecimento do que está por vir é assustador", ressaltou a geriatra Maisa Kairalla, presidente da SBGG-SP.

Segundo o gerontólogo Alexandre Kalache, presidente do Centro Internacional de Longevidade Brasil, o envelhecimento saudável depende de uma boa preparação para a chegada da terceira idade. "É fundamental adotar uma perspectiva de hábitos de vida, assim como cuidar das relações. É sempre tempo de fazer uma correção. Quanto mais cedo, melhor, mas nunca é tarde demais", ensinou. 

Comentários

Últimas de Vida Saudável