Geraldo Alckmin nega que pretende se candidatar à presidência do PSDB

Por O Dia

Um dia depois de ser aclamado por aliados na convenção estadual do PSDB paulista e apontado como o nome que pode unir o partido, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, negou que vai se candidatar à presidência do PSDB. Ele argumentou que há outros "ótimos nomes" que podem ser avaliados caso não haja concordância para um dos dois candidatos ao posto. Brigam o senador Tasso Jereissati (CE) e o governador Marconi Perillo (GO), aliado de Aécio Neves (MG), que semana passada destituiu o cearense do comando provisório da sigla e escancarou o racha no ninho tucano.

"Não pretendo ser candidato à presidência do partido. Temos dois nomes disputando e temos ótimos nomes que também podem ser avaliados. Mas está é uma questão que cabe ao partido", apaziguou.

Na convenção de domingo, tucanos defenderam o seu nome como "solução pacificadora" para a presidência do PSDB, e ele mesmo não descartou a possibilidade. "Vamos aguardar. É uma decisão coletiva do Brasil inteiro", considerou.

Questionado sobre se as alianças para 2018 podem ficar sem o PMDB, Alckmin afirmou apenas que o partido deve buscar siglas sem candidatura, o que deve acontecer depois de fevereiro. "Nós só podemos fazer aliança com quem não tenha candidato. Esse é o caminho."

Comentários

Últimas de Brasil