Delação fica sob sigilo

Ministro do STF mantém em segredo depoimento de marqueteiro

Por O Dia

Toffoli quer mais informações da Procuradoria da União por se tratar de questão de ampla repercussão
Toffoli quer mais informações da Procuradoria da União por se tratar de questão de ampla repercussão - Carlos Moura/SCO/STF

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), restabeleceu o sigilo do acordo de colaboração premiada firmado mas ainda não homologado entre a Procuradoria-Geral da República (PGR) e o publicitário e empresário Renato Pereira, marqueteiro das últimas campanhas do PMDB do Rio de Janeiro. O sigilo havia sido retirado por decisão do ministro Ricardo Lewandowski, relator desta delação no tribunal.

Toffoli atendeu ao pedido da PGR, que entrou com recurso após a decisão de Lewandowski afirmando que a retirada do sigilo colocava em risco a segurança do colaborador. O fato de o relator Lewandowski estar de licença motivou o envio do pedido da PGR para a consideração de Toffoli, por este ser o revisor dos processos de Lewandowski, de acordo com as regras da corte.

A procuradora-geral Raquel Dodge reforçou a necessidade de restituição urgente do sigilo em uma nova petição enviada ao Supremo.

Comentários

Últimas de Brasil