Por

O Ministério Público 'comprou' briga para retirar a ação contra contratação supostamente irregular de serviços médicos feita pela prefeitura de Angra dos Reis e a Fundação Hospital Geral de Japuíba das mãos da juíza Andrea Mauro da Gama Lobo D'eca de Oliveira, da 1ª Vara Cível, daquele município. Alega que, pelo prazo de seis meses, os procedimentos 'emergenciais' superam R$ 17 milhões e o MP queria a paralisação dos processos administrativos. Porém, a magistrada indeferiu o pedido. Em contra-ataque, o MP diz que a juíza demorou muito para decidir. E mais: que ela é mulher do presidente da Câmara Municipal, o vereador José Augusto de Araújo Vieira, o Zé Agusto, do PMDB, aliado do prefeito Fernando Jordão, do mesmo partido. Zé Augusto, para o MP, deveria fiscalizar os gastos, mas visitou o hospital e aprovou as contratações. A juíza, que fez doação de campanha para o marido, decidiu que não sai do caso. Agora, quem vai bater o martelo é a 8ª Câmara Cível.

Você pode gostar
Comentários