Por

As declarações do ministro da Justiça, Torquato Jardim, de que o governador Luiz Fernando Pezão e o secretário de Segurança, Roberto Sá, não controlam a PM e que os comandantes de batalhões 'são sócios do crime' ecoam. O presidente da Associação dos Oficiais Militares Ativos e Inativos da PM e Bombeiros, Adalberto Rabelo (foto), pedirá na Justiça que o ministro apresente as provas ou faça uma retratação. A ação está sob a batuta do advogado Marcelo Queiroz. Se o ministro não se pronunciar, o destino é pedir dano moral.

Você pode gostar
Comentários