Toda bela...

Por O Dia

Nanda Costa é uma atriz completa, madura. No filme 'Entre Irmãs', contracena com Marjorie Estiano com uma verdade comovente. Em 'Pega Pega', sua risada estranha é um achado. Indo da tristeza a euforia, brilha em suas interpretações. Inquieta e atirada, Nanda vem acertando. O filme 'Entre irmãs' vai ao ar em quatro episódios na TV Globo, logo no início de 2018. Ficamos sabendo que Nanda está reservada para a próxima novela das 21h, do João Emanuel Carneiro. Certamente, vem mais coisa boa por aí. Acompanhe a ótima entrevista da atriz.

Fale um pouco sobre você...

"Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo". "Vou mostrando como sou e vou sendo como posso"...

Quando começou na profissão?

Com mais ou menos 10 anos de idade, montei uma escolinha de teatro em cima do restaurante da minha mãe. Com 14 anos, sai de casa para estudar teatro. Meu primeiro cachê foi no cinema, em uma participação que fiz no filme 'Querô'. Tinha 18 anos, a maioria das minha cenas foram cortadas, foi quase uma figuração no final das contas (isso acontece muito no cinema). Minha primeira novela foi em 2006, em 'Cobras e Lagartos', eu tinha 20 anos.

O que foi mais marcante na gravação do filme 'Entre Irmãs'?

Acho que foi passar tanto tempo no sertão. Fiquei cerca de dois meses sem voltar para casa. É impossível passar pelo sertão e não voltar diferente. Era um calor inexplicável. Conhecer a fundo aquele lugar, aquelas pessoas incríveis e contracenar com esse personagem (sertão), muitas vezes retratado de forma secundária no Brasil. Foi marcante, não dava para lutar contra o calor, a sensação térmica muitas vezes chegava a 50 graus! Mais o que foi mais marcante para mim aconteceu antes das gravações, que foi a notícia que a Patrícia Andrade estava escrevendo essa personagem especialmente para mim! Uma personagem tão forte e sensível. Um presente que não vou esquecer nunca!

Maior desafio da carreira?

Eu sempre acho que o maior desafio é sempre o novo trabalho. Maior por ser diferente, ou muito parecido. Maior por medo de me repetir. 'Sonhos Roubados' foi a minha primeira protagonista no cinema, esse nome já assusta. 'Salve Jorge' foi a primeira protagonista na TV, e ainda por cima no horário nobre. 'Entre Irmãs' foi um filme em que a roteirista escreveu a personagem para mim, isso tem uma responsabilidade imensa. E agora 'Pega Pega', a minha primeira personagem em tom de comédia. Não consigo te apontar o maior desafio, mas a minha entrega é sempre integral. Seja o desafio que for, procuro sempre dar o meu melhor!

Momento saia justa?

O convite para fazer a Sandra Helena foi quase uma saia justa. Tive muito medo, quando o Luiz Henrique Rios (diretor de 'Pega Pega') me ligou pra fazer o convite, dizendo que ela era louca, engraçada, e tinha uma gargalhada estrondosa. Eu pensei: como é que eu vou dizer que não sei fazer isso?! Mas como o medo nunca me paralisou, e ele conseguiu me fazer acreditar que eu era capaz, sou eternamente grata a ele por me dar essa experiência de poder me reinventar.

Você tem alguém que te proteja, como a Marieta?

Acho que meu avô foi um pouco essa pessoa na minha vida. Me ensinou a sonhar e acreditar que tudo é possível! Ele já morreu. Diferentemente da Dona Marieta, ele não me deixou uma fortuna em dinheiro de herança, mas me ensinou as coisas mais valiosas na minha vida: integridade, amor e fé. Assim como minha mãe, minha avó e minha irmã.

Tem alguma superstição?

Tenho fé, serve?

Novidades para 2018?

Alguns trabalhos para estrear que já foram feitos, como cinema e série. Tem também um convite para 2018. Eu pretendia estrear no teatro com um projeto meu, mas se esse convite virar desafio de fato, vou ficar bem feliz e adiar a peça. Acho que não vai dar pra conciliar.

Um momento marcante?

Acho que posso considerar esse momento da minha vida bem marcante. Aprendi até a gargalhar...

O que te tira o sono?

Insegurança. Por exemplo, quando tenho um dia cheio de gravação no dia seguinte, e sinto que não estou segura com o texto, não consigo dormir. Levanto da cama e passo as cenas na minha cabeça até relaxar que está tudo decoradinho.

Família é? Quer filhos?

A base de tudo. Filhos... Gosto de cuidar de um filho de cada vez. No momento, minha filha é a Sandra Helena.

Um beijo?

No ombro...

Um sonho?

Ter bastante saúde para, caso eu viva muito, poder trabalhar até o fim.

Comentários

Últimas de Diversão