'Cada um tem o direito de pensar e ser o que quiser'

Fernanda Montenegro, a Mercedes de 'O Outro Lado do Paraíso', fala de preconceito com idosos, fé e liberdade

Por BÁRBARA SARYNE

Fernanda Montenegro está gostando de ficar com os cabelos brancos:
Fernanda Montenegro está gostando de ficar com os cabelos brancos: "Pintar toda semana é um horror" - Raquel Cunha/TV Globo

Fernanda Montenegro, assim como Mercedes, sua personagem em 'O Outro Lado do Paraíso', tem um coração de ouro. Na trama de Walcyr Carrasco, a atriz interpreta uma senhora mística, rezadeira, que escuta a voz dos anjos e deixa de viver ao lado de seu amor, Josafá (Lima Duarte), para o bem de todos. Fora da ficção, como já era de se imaginar, ela não passa o dia rezando, mas também é um símbolo da luta pelo amor.

Chateada com a repercussão negativa da novela de Gilberto Braga, 'Babilônia' (2015), a veterana que deu vida a uma lésbica no folhetim do horário nobre afirma sentir que, sem amor, o mundo caminha para trás.

"O careta tem todo direito de ser careta. Cada um tem o direito de pensar e ser o que quiser. Mas o fato de distinguir o contrário diante de um fato, de um fenômeno ou de uma postura humana, isso é amedrontador", explica.

'SUPORTÁVEL'

Inconformada e com os pés no chão, a atriz que faz par romântico com Lima Duarte em 'O Outro Lado do Paraíso' não esconde o que pensa. Até os 40 anos, ela acredita que é "suportável" ver um casal aos beijos na TV, depois disso, o público considera as cenas de amor um desaforo. E aí, o que nos resta, é não perder a fé na humanidade.

"É aquela coisa de Santo Agostinho, 'se você duvida, já acredita'. Essa frase é tão bonita. Quem não pede algum socorro na hora do desespero? Até um ateu!", comenta a atriz, aos risos.

CABELOS BRANCOS

Adepta das redes sociais, mas com pouco tempo para atualizar sua página no Facebook, Fernanda conta que jamais deixaria de ler um livro para ficar de olho no que dizem sobre ela. Livre, leve e solta, com seu cabelo ao natural, a atriz de 88 anos esbanja autoestima em sua nova fase.

"Deixar o cabelo branco é repousante, muito confortável. Pintar toda semana é um horror porque uma hora a tinta deixa de pegar na raiz. Agora que estou natural, é como se eu fosse uma criança de novo. Viu como tem vantagem a velhice?", brinca Fernanda.

No ar com uma das personagens mais difíceis de sua carreira, a atriz, que é referência, não deixa de agradecer ao autor da trama pelo papel. Humilde, ela diz que não sabe se está correspondendo, mas aproveita para dar lições de vida ao falar de Mercedes.

"Ela tem sentimentos antigos. E quando eu digo antigo, não é velho. São sentimentos puros, importantes, que eu espero estar dando conta porque não existe idade para amar", diz.

Comentários

Últimas de Diversão