'Acho bobagem essa vida de ostentação'

Diferentemente da Alzira de 'Tempo de Amar', Deborah Evelyn jamais manteria a pose de rica se estivesse em situação difícil

Por O Dia

Deborah Evelyn, a Alzira:
Deborah Evelyn, a Alzira: "Não está fácil para ninguém", avalia - Cesar Alves/TV Globo

Quem vê Deborah Evelyn na vida real nem imagina que a atriz é quem interpreta a Alzira, de 'Tempo de Amar'. Mãe de Luiza Carvalho, de 24 anos, a global não gosta de ostentar e diz que jamais manteria a pose de rica se estivesse passando por dificuldades financeiras, como é o caso de sua personagem na novela das 18h.

"Eu acho bobagem essa vida de ostentação. Nós já vivemos com muito mais do que precisamos, e isso não traz nada de bom", afirma ela, que não abre mão de viajar, passar tempo com a família e ler um livro.

Aos 51 anos, a atriz reconhece que essa visão de vida tem a ver com maturidade. E aproveita para dar um recado à dondoca que interpreta. "Eu diria para a Alzira e para quem pensa como ela que existem coisas mais importantes na vida. Olha a sua filha, o seu marido. Vai à luta, vai fazer alguma coisa especial para você", aconselha.

Na trama de Alcides Nogueira, a personagem de Deborah encontrou uma saída após o marido Bernardo (Nelson Freitas) perder tudo nos jogos: além de vender os vestidos de luxo, a madame passou a contar com uma comissão do empregado Pepito (Maicon Rodrigues), que se mostrou um bom comerciante ao vender geleias nas ruas.

Feminista, Deborah garante que, se estivesse no lugar da personagem, não pensaria duas vezes e arregaçaria as mangas para sair da situação difícil. "Não está fácil para ninguém e nós não vamos ficar paradas ou nos matar. A vida está aí para isso, e eu acho que as mulheres têm capacidade criativa para fazer as coisas. É por isso que chegam aonde querem, apesar de dificuldades e desigualdades do mercado de trabalho", avalia.

Deborah conta que está numa fase mais tranquila. O último trabalho da atriz antes de 'Tempo de Amar' foi em 'A Regra do Jogo' (2015), e o tempo fora do ar caiu como uma luva. "Quando era mais jovem, emendava uma coisa na outra, porque tinha mais energia, sentia necessidade. Depois, isso mudou. Sinto que preciso estudar entre um trabalho e outro, me alimentar para que o próximo personagem venha sem ruídos do anterior", diz a atriz, que pintou o cabelo especialmente para a novela das 18h.

É difícil falar com a artista sem tocar no nome de Luiza, sua filha. Orgulho de Deborah, a moça se formou em engenharia na Alemanha, arrumou um bom emprego por lá e fez a mãe acreditar que não voltaria mais para o Brasil. "Ela sentiu saudade. Não é fácil viver neste país, mas estou feliz com ela aqui."

Comentários

Últimas de Diversão