Reunião discute hoje alta do piso regional

Por O Dia

Representantes de trabalhadores e empresários do Rio se reúnem hoje novamente para tentar chegar à proposta de consenso para o reajuste do piso regional em 2018. Conforme O DIA antecipou no último dia 8, a bancada dos empregados no Conselho Estadual de Trabalho e Renda (Ceterj) reivindicou aumento de 6,8% para as faixas do piso. Os empresários propuseram reajuste zero. Este ano, a correção foi de 8%.

De acordo com fonte que acompanha as negociações, até o momento, o único ponto de consenso é a manutenção da quantidade de faixas do piso. Hoje, o salário mínimo do estado possui seis patamares em que as categorias profissionais são divididas.

Com a proposta de 6,8%, o valor da faixa 1, por exemplo, que inclui empregadas domésticas, subiria de R$ 1,136,53 a R$1.213,81. Pedreiros e garçons (faixa 2) receberiam R$1.258,54. Hoje, o valor é de R$1.178,41. Porteiros (faixa 3) ganhariam R$ 1.348,02. O piso deles é de R$ 1.262,20.

A proposta da bancada de trabalhadores, composta por UGT, CUT, Nova Central, Força Sindical, CTB e CSB, leva em conta estimativa inicial de aumento do mínimo nacional de 4,05% para 2018. E acrescenta recomposição do poder econômico do piso regional, pela redução do número de faixas de nove para seis com 2,75% .

Comentários

Últimas de Economia