Brasileiras empreendem em NY

Por VIVIANE FAVER

As brasileiras Cristina e Marcela se destacam nos negócios nos EUA
As brasileiras Cristina e Marcela se destacam nos negócios nos EUA - Divulgação

Empreendedoras brasileiras em Nova York comemoram os 30 anos da lei federal HR 5050 - que estimulou o empreendedorismo feminino e criou a rede Women's Business Centers (WBC). A aprovação da lei abriu oportunidades para mulheres, inclusive as brasileiras, idealizarem o próprio negócio na terra do Tio Sam.

Há 23 anos, a ex-estilista Cristina Duarte largou o segmento de acessórios da marca Cantão e investe em uma joalheira artesã em NY. Há sete anos, ela abriu a loja Studio DuArte, no East Village, e um ano a Artist&Flea, no Soho. Cristina tentou abrir um negócio no Brasil, mas desistiu devido a burocracia e o custo alto para investir. "Paguei US$100 e em menos de duas horas abri minha empresa. Aqui eles incentivam e facilitam o pequeno empresário, diferente do Brasil que cobra uma burocracia desnecessária" conta Cristina.

A mineira Marcela Andrade se mudou para Nova York em 1986. Hoje ela é presidente de uma organização sem fins lucrativos, a Sewing The Roses, e da grife de roupas e acessórios Marcela Carvalho, no Soho.

Assim como Cristina, ela tentou abrir um negócio no Brasil, mas desistiu devido a dificuldade para o pequeno empresário. "Aqui há vários cursos gratuitos e agências preparadas para ajudar no processo, e os bancos têm ofertas de empréstimos acessíveis", comemora Marcela, que também é artista plástica e trabalha como professora no Flushing Town Hall.

Comentários

Últimas de Economia