CAIU NA REDE

Grupo 'Indico na Tijuca' reúne 35 mil membros no Facebook e alavanca negócios de profissionais do bairro

Por Bernardo Costa

Rodrigo e a esposa Fabiana administram o grupo 'Indico na Tijuca'
Rodrigo e a esposa Fabiana administram o grupo 'Indico na Tijuca' - Reprodução

Edgar Moura se desdobrava entre bicos como garçom e no atendimento aos clientes do pai, que trabalha com reparos em computadores, quando foi marcado num grupo do Facebook. Em apenas seis meses, ele formou a própria clientela, criou a sua empresa e conquistou a independência financeira. O comentário positivo foi postado no 'Indico na Tijuca', que vem impulsionando negócios de empreendedores da região a partir das demandas e avaliações dos moradores do bairro há dois anos. Os serviços de Edgar, que antes atendiam a dezenas de moradores da Tijuca, passaram a contar com um universo de 35 mil potenciais clientes.

Eles representam a quantidade de membros do grupo, que cresce numa proporção de cerca de mil usuários por semana. Desde que teve o perfil marcado no grupo, Edgar conta que o celular não parou mais de tocar. Em pouco tempo, a história se inverteu. E o pai, que lhe ensinou informática, passou ajudá-lo com os novos clientes. A esposa tornou-se secretária da empresa Ed Moura e vem aprendendo o ofício.

Os três moram juntos na Rua General Rocca e já trocaram geladeira, máquina de lavar e parte dos móveis do apartamento de cerca de 24 metros quadrados em que vivem. "A partir da primeira indicação, um cliente foi puxando o outro e o volume de trabalho cresceu em grande proporção. Hoje, tenho mais de 100 clientes e posso viver exclusivamente do que amo. Às vezes, eles batem na porta da minha casa pedindo algum serviço, de surpresa", conta o técnico de informática.

Por dia, são cerca de 100 postagens no 'Indico na Tijuca', com pedidos de indicações de profissionais e mensagens com avaliações de clientes. Na descrição, a mensagem: 'estamos cansados de ser enganados, vamos compartilhar os bons exemplos!'. Os 35 mil membros se engajaram na proposta e o grupo se tornou referência. "É um pedido de socorro por serviços de qualidade no bairro", diz Rodrigo Viana, de 35 anos, que criou o grupo.

Diante de uma centena de indicações diárias, o grupo criou um banco de dados. Para evitar repetições de postagens, os administradores sugerem que seja feita uma busca na lupa, no canto esquerdo da página, antes de o usuário pedir alguma indicação. Por ali, é possível identificar os profissionais e estabelecimentos mais citados.

Se a procura for por doces ou salgados, o internauta irá encontrar referências à marca 'Quitutes da Juju', indicada em maio. Os clientes se multiplicaram e Juliana Andrade, que havia encerrado meses antes o serviço de entrega de almoços, reativou a empresa. Hoje, ela vira a noite trabalhando para atender os pedidos diários. "A empresa cresceu tanto que já há parceiros interessados em investir na marca", diz a empresária, formada em técnica de cozinha pelo Senac.

A cerca de dois quilômetros dali, na Rua Henrique Fleiuss, Rodrigo Dirques foi outro profissional que viu seu negócio deslanchar após uma indicação no grupo. Com formação de chef de cozinha, ele oferece café da manhã aos fins de semana na varanda de casa, com vista a Floresta da Tijuca, para cerca de 30 pessoas. Após ser citado no grupo, o número de clientes triplicou. Rodrigo prepara a expansão dos serviços. "Estamos implantando o self service para almoço e o jantar à la carte", antecipa o empreendedor, que pediu demissão para cuidar do próprio negócio, o Mirante da Floresta.

Comentários