Fogão doma o Leão na Ilha

Time abre boa vantagem na etapa inicial, vacila no fim, mas volta ao Rio com a vitória

Por ASSINATURA REPÓRTER

Pense numa vitória suada. A exaustão dos jogadores do Botafogo ao fim da partida na Ilha do Retiro refletiu bem todo o esforço para confirmar o triunfo de 2 a 1 sobre o Sport. Na falta de um futebol vistoso, sobrou vontade. Foi o que mostrou Bruno Silva ao roubar a bola de Magrão para abrir o placar. E a Marcos Vinícius para encarar sozinho a defesa adversária e chutar de bico no cantinho para superar o mesmo Magrão.

Após a má atuação na derrota para o Fluminense, o técnico Jair Ventura decidiu se arriscar mais e surpreendeu ao escalar João Paulo e Marcos Vinícius na armação fora de casa. A tentativa de levar a equipe à frente, porém, esbarrou na falta de qualidade na saída de bola.

O Botafogo não acertou o passe para encaixar o contra-ataque e a marcação. Na zona de rebaixamento, o Leão incomodava com a velocidade de Rogério e Osvaldo, além do avanço de surpresa de Patrick, mas Gatito Fernández respondeu à altura quando exigido. Melhores, os donos da casa não contavam com a bisonha falha de Magrão. Após uma bola recuada, o goleiro tentou driblar Bruno Silva, que a roubou e tocou para o gol vazio, abrindo o placar, aos 14 minutos.

O Sport sentiu o duro golpe e, acuado, sofreu o segundo gol quatro minutos depois. Marcos Vinícius fez fila na defesa e chutou no canto esquerdo, sem chances para Magrão.

Os gols não mascararam a pouco inspirada atuação do Botafogo. Na volta do intervalo, a equipe recuou e cedeu espaço para as investidas do desesperado Sport, que arriscou tudo após a entrada de Thomás e Lenis.

As mexidas do Glorioso não surtiram efeito. Gilson e Guilherme pouco acrescentaram. De tanto pressionar, os donos da casa diminuíram com André, aos 40, após uma cochilada da defesa alvinegra. Emoção e suor não faltaram até o apito final. Firme e forte no G-6, o Botafogo segue na rota da Libertadores.

Comentários

Últimas de Esporte