A LUTA PARA VENCER O PRECONCEITO

Por O Dia

O vôlei e o surfe passaram pela vida do designer gráfico Ralph Teixeira Barbosa, 31 anos, até que a criação do Bees Cats, neste ano, o fez se sentir confortável nos gramados: "Nunca me senti à vontade porque você chega num ambiente em que o que impera para sacanear o adversário é sempre algo relacionado à minha sexualidade, de uma maneira muita pejorativa e pesada."

Em casa, a aceitação também não foi fácil: "Minha família é bem tradicional. Minha mãe é professora, meu pai é militar, meus tios são advogados, tem um monte de militar na família. Só fui me abrir por força de um relacionamento duradouro."

Supervisor em uma faculdade, Victor Dubugras, 34 anos, torcedor do Fluminense, também sofreu: "Com um dos meus irmãos, a gente quase caiu na porrada. Brigamos feio, a ponto de ter que correr para a rua, ir à polícia. Hoje ele se arrepende e me trata muito bem. Perdoo porque não era a realidade dele."

Comentários

Últimas de Esporte