Flu se despede da torcida sem deixar saudade

Em sua última partida no Maracanã em 2017, Tricolor mostra futebol fraco, é derrotado em casa por 2 a 1 pelo Sport e deixa o estádio sob vaias

Por HUGO PERRUSO

Marcos Júnior disputa jogada com o meia do Sport Diego Souza: tricolor fez golaço de bicicleta
Marcos Júnior disputa jogada com o meia do Sport Diego Souza: tricolor fez golaço de bicicleta - Ernesto CarriÇo

A despedida do Fluminense diante de sua torcida no Maracanã em 2017 foi a pior possível. Com um futebol fraco, muitos erros, principalmente defensivos, e péssima atuação, o Tricolor perdeu mais uma no Brasileiro, desta vez por 2 a 1 para o Sport com dois gols de André e Marcos Junior descontando de bicicleta e saiu do estádio debaixo de vaias e gritos de 'Time sem vergonha'. O mais xingado pelos torcedores foi o presidente Pedro Abad. Seu grupo político (Flusócio) também foi alvo dos protestos. E o principal pedido foi por jogadores em 2018.

O clima no Maracanã era de fim de festa. E daquelas ruins, com comida gelada e bebida quente. O Fluminense parecia estar em campo forçado, sem demonstrar vontade e um pingo de organização, enquanto o Sport precisava vencer para sair da zona de rebaixamento. Então não demorou para os pernambucanos tomarem conta do jogo. O domínio era total até que André abriu o placar aos 11, em contra-ataque após passe errado de Marlon Freitas no meio.

Apesar do gol sofrido, o Fluminense continuava com a mesma postura e a torcidas começou a perder a paciência a partir dos 20. O Sport ficou quase dois minutos rondando a área até ampliar em escanteio que Anselmo furou e André aproveitou. Foi a senha para os protestos mais veementes.

Além dos gritos de "time sem vergonha", "queremos jogador" e xingamentos a Abad, vaias a cada jogador que tocava a bola. Ninguém era poupado. Pelo menos o Fluminense parece ter acordado e finalmente foi ao ataque e diminuiu em golaço de bicicleta de Marcos Junior, aos 37. Inicialmente o atacante botou as mãos nas orelhas, mas depois foi comemorar com os tricolores na arquibancada. A torcida deu uma trégua e voltou a apoiar.

Mas na segunda etapa, após início animador, com uma ótima chance de Marcos Júnior, que parou em Magrão, o Fluminense voltou a ser inofensivo. O Sport chegou mais graças às falhas de marcação da defesa tricolor e Cavalieri defendeu. A torcida voltou a perder a paciência com a pouca eficiência tricolor e voltou a protestar. No fim, os pernambucanos ainda desperdiçaram duas boas chances e Magrão salvou em falta cobrada por Marlon. E as vaias voltaram com força.

Comentários

Últimas de Esporte