Réver se esquiva sobre escalação de Muralha nesta quinta: 'O técnico decide'

Goleiro voltou a falhar na derrota do Fla contra o Santos no domingo

Por O Dia

Réver durante treino do Flamengo, no Ninho do Urubu
Réver durante treino do Flamengo, no Ninho do Urubu - GILVAN DE SOUZA / FLAMENGO

Rio - O torcedor do Flamengo terá que conviver com a incerteza na posição de goleiro na reta final da temporada. Sem Diego Alves, que sofreu uma fratura, Muralha assumiu a posição nos últimos jogos e acabou não convendo. A atuação muito ruim na derrota para o Santos fez com que a escalação do jogador na partida decisiva de quinta-feira contra o Junior Barranquilla ficasse sob risco. Rueda pode escalar o jovem César no confronto válido pelas semifinais da Sul-Americana. Um das referências do elenco rubro-negro, o zagueiro Réver preferiu não se meter nessa polêmica.

"São dois momentos bem diferentes. O torcedor ontem gritou o nome do César depois dos erros da partida. O Muralha é muito visado pelo torcedor. Isso pode acabar passando uma insegurança para ele, mas para a gente ele se demonstra muito seguro, porque vem treinando muito bem na semana. Cabe ao treinador decidir. Nós jogadores temos confiança dos dois. O Muralha pode não estar vivendo um bom momento, como já viveu, o César está há um tempo sem jogar, mas temos a confiança nos dois", afirmou.

Além das falhas de Muralha, os erros ofensivos foram determinantes na derrota do Flamengo contra o Santos. O defensor afirmou que a equipe não pode perder tantas chances de gol como aconteceu na partida deste domingo na Ilha do Urubu.

"A maior dificuldade que estamos tendo é essa ansiedade de fazer o jogo de qualquer maneira. Temos que controlar nossa ansiedade para que isso não atrapalhe nosso desempenho. Para que não aconteça o que aconteceu ontem, 20 chances e fazer um gol, e o adversário com três chances fazer dois", disse.

Comentários