Eurico critica repercussão política no Vasco: 'Iremos para a Libertadores'

Presidente afirmou que equipe vem sendo atrapalhada pela imprensa

Por Estadão Conteúdo

Coletiva do Presidente Eurico Miranda - 09-11-2017 - manhã - Sala de Imprensa de São Januário - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Coletiva do Presidente Eurico Miranda - 09-11-2017 - manhã - Sala de Imprensa de São Januário - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br - Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Rio - O presidente Eurico Miranda voltou a se manifestar publicamente nesta terça-feira sobre a polêmica eleição do Vasco, que segue gerando disputa na Justiça. Para o dirigente, a cobertura do caso pela imprensa nesta reta final de Campeonato Brasileiro está atrapalhando a equipe na luta por uma vaga na Libertadores do ano que vem.

Coletiva do Presidente Eurico Miranda - 09-11-2017 - manhã - Sala de Imprensa de São Januário - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br - Paulo Fernandes/Vasco.com.br

"É contra tudo e contra todos! Eu preciso recapitular algumas coisas para ver se eu consigo alguma explicação do que está ocorrendo. Lá atrás, quando se iniciou a competição, nós dissemos que o objetivo do Vasco era Libertadores. Noventa e nove por cento achou que aquilo era bravata. Não importa, esse era o objetivo. Com todas as dificuldades que tivemos que atravessamos, que tivemos que enfrentar, o Vasco está nas portas da Libertadores. E com o Vasco nas portas da Libertadores, numa semana decisiva, o assunto no noticiário não é esse. O assunto é outro", reclamou.

Para o dirigente, o que deveria estar sendo discutido esta semana é a campanha que permite ao Vasco depender apenas de si na última rodada do Brasileirão para ir à Libertadores. No domingo, a equipe carioca recebe a rebaixada Ponte Preta e garantirá a vaga se vencer.

"Eu não sei por qual razão, quais os interesses que movem isso, mas em uma semana em que tinha que estar sendo exaltada a campanha do Vasco no futebol, o noticiário é outro em relação ao clube. O que interessa é outra coisa, não isso", considerou.

A chapa "Reconstruindo o Vasco", de Eurico, venceu a eleição do início do mês, mas uma suspeita de fraude na urna 7 está causando uma briga judicial com a chapa "Sempre Vasco", capitaneada por Julio Brandt. O dirigente atacou a forma como o caso vem sendo conduzido pela Justiça. "São coisas que não parecem, mas são absolutamente dirigidas."

Após a vitória de Eurico, a juíza Maria Cecilia Pinto Gonçalves ordenou que a urna 7 fosse desconsiderada, sob acusação da oposição de que os votos foram dados por torcedores que se tornaram sócios do clube de forma maciça entre novembro e dezembro de 2015, quando se encerrou o período para se tornarem aptos para participar do pleito.

Na última quinta, porém, a desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga concedeu efeito suspensivo ao Vasco e determinou que os votos da polêmica urna voltassem a ser considerados, enquanto não é realizada uma perícia técnica. Com isso, a chapa "Reconstruindo o Vasco", de Eurico, voltou a ser primeiro lugar no pleito. Mesmo assim, o dirigente considerou que o clube está sendo perseguido.

"O que quero deixar claro é que essas coincidências já vem la de trás e todas elas só tinham um objetivo: que o Vasco, através do seu futebol, não alcançasse o objetivo que foi traçado. O Vasco alcançou e continuamos no mesmo objetivo. Por isso eu coloquei lá atrás: é contra tudo, contra todos e rumo à Libertadores", afirmou.

Eurico é intimado para prestar depoimento sobre suposta fraude nas eleições

Rio - O presidente do Vasco, Eurico Miranda, foi intimado para dar depoimento na próxima quarta-feira, às 14h, na Cidade da Polícia, devido a uma suspeita de fraude de votos na eleição do clube no último dia 7. A Delegacia de Defraudações da Polícia Civil está investigando e as eleições do clube carioca podem ter ganho mais um capítulo.

Além de Eurico, uma funcionária do Cruzmaltino também foi intimada para prestar depoimento. Ela estaria diretamente ligada ao presidente do Vasco e teria participação no esquema de fraudes de sócios votantes. Outras cinco pessoas também foram intimadas e até o momento, quatro foram ouvidas. A delegada Patrícia de Paiva Aguiar irá conceder uma entrevista coletiva, nesta terça-feira, para esclarecer mais detalhes sobre o caso.

A eleição do Vasco que terminou com vitória de Eurico Miranda teve uma polêmica envolvendo a urna 7. Separada pela Justiça, após denúncia do então candidato a presidência Fernando Horta, ela está sob judice. Com ela, o atual presidente do Vasco venceu a eleição com 2.111 votos. Julio Brant fica com 1.975. A urna 7 contou com 691 eleitores, 475 compareceram à votação. Eurico teve 428 votos e apenas 42 escolheram Brant.

A urna contestada pela oposição conta com sócios de que se filiaram ao clube em novembro e dezembro de 2015, num fluxo muito maior que o registrado nos meses anteriores. O clube afirma que houve um represamento anteriormente por causa do fim da categoria de sócio geral, que aconteceu no fim daquele ano.

Após a eleição, Brant conseguiu uma liminar que anulava a urna, mas na última semana, o Vasco conseguiu reverter a decisão com um efeito suspensivo.

Sonho está vivo

Com excelente atuação de Martín Silva, o Vasco fez a sua parte no Mineirão e derrotou o Cruzeiro por 1 a 0, com gol de Paulão, de cabeça. O time subiu para o sétimo lugar no Brasileirão, com 53 pontos. Mas, para encerrar a rodada no G-7, precisa secar o Botafogo, oitavo colocado, com 52, no jogo de hoje contra o Palmeiras, em São Paulo. Com o sonho da Libertadores ainda vivo, o Vasco volta a campo domingo, diante da já rebaixada Ponte Preta, em São Januário.

Zé Ricardo optou por Evander no meio de campo no time titular e ainda contou com o retorno de Anderson Martins e Madson, recuperados de lesão. O Vasco viu o Cruzeiro começar melhor a partida, mas conseguiu abrir o placar aos 20 minutos: após cobrança de escanteio de Nenê, Paulão cabeceou para o gol.

MARTÍN SILVA BRILHA

A Raposa criou chances para empatar, tanto no primeiro quanto no segundo tempo. Mas parou em Martín Silva, em tarde inspirada. Arrascaeta, aos 29, teve chance de deixar tudo igual. Dois minutos depois, outro lance de perigo do Cruzeiro: Rafinha fez boa jogada pela esquerda e tocou para o uruguaio chutar. Foi a vez do zagueiro Henrique salvar o Vasco.

O time voltou do intervalo com Jean no lugar de Evander. Depois, Paulinho deu lugar a Wagner enquanto Nenê foi substituído por Mateus Vital. O Cruzeiro seguiu pressionando em busca do empate. Aos 26, Thiago Neves cruzou e Anderson Martins apareceu para salvar o Vasco antes que Digão deixasse tudo igual.

Pikachu também chegou com perigo e teve a chance de ampliar para o time da Colina, mas Lucas Romero fez o corte. Martín Silva voltou a salvar o Vasco, deixando vivo o sonho da Libertadores.

Vasco é o clube carioca com mais chances de se classificar para a Libertadores

Paulão (de frente) foi preciso e encheu de esperanças o torcedor cruzmaltino nesta reta final - Fernando Michel/Parceiro/Agência O Dia

Rio - A última rodada do Brasileiro reserva fortes emoções para os clubes cariocas. Vasco, Flamengo e Botafogo têm boas chances de conseguir uma vaga na Libertadores. Apesar de não ser o melhor do Rio na classificação, o clube de São Januário é a equipe com mais possibilidades matemáticas. As informações são do site "Infobola", de Tristão García.

Em sétimo lugar, o Vasco encerra a sua participação no Brasileiro, em casa contra a Ponte Preta, já rebaixada. O clube da Colina tem 60% de chances de se classificar para a Libertadores. Em sexto, o Flamengo tem menos chances. A equipe joga contra o Vitória, em Salvador, com a equipe baiana lutando contra a degola. O clube da Gávea tem 57%. O Botafogo, que encara o Cruzeiro em casa, está em oitavo e tem 38%.

Os três clubes do Rio lutam por duas vagas ao lado de Chapecoense e Atlético-MG. Santos, Grêmio e o campeão Corinthians já garantiram vaga, além do Cruzeiro, que venceu a Copa do Brasil. Caso o clube gaúcho vença a Libertadores, nesta quarta-feira, o G-7 se transforma em G-8 e haverá a possibilidade dos três clubes cariocas conseguirem disputar a competição mais importante do continente.

Comentários