Dois PMs são presos com R$ 17 mil em envelopes

Rastreada e pega em flagrante no 20º Batalhão, em Mesquita, uma sargento carregava quantia na bolsa; outro policial que a acompanhava também foi pego

Por O Dia

Uma sargento do serviço reservado da PM foi presa pela corregedoria da corporação na tarde de sexta-feira com quase R$ 17 mil na bolsa dentro do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA), em Nova Iguaçu, que fica no 20º BPM (Mesquita). O comando é responsável pelos batalhões da Baixada Fluminense. Outro PM lotado no 20º BPM (Mesquita) também foi preso na mesma ação porque foi flagrado com a policial. Eles não tiveram seus nomes divulgados. As prisões fizeram cair o comando do 3º CPA.

Há informações de que o dinheiro seria entregue a oficiais porque a quantia estava separada em envelopes com siglas que seriam de patentes e letras como A e M. De acordo com a PM, os dois PMs presos fora pegos com o dinheiro depois de serem filmados por agentes da 3ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), subordinada à corregedoria, saindo de um prédio comercial, entrando num carro dirigido por um deles e indo para o 20º BPM.

A quantia estava em cinco envelopes com R$ 2 mil cada e a inscrição MJ, que seria major; dois contendo R$ 1 mil cada com a sigla C, que seria capitão; um pacote com R$ 1 mil e outro com R$ 2,3 mil com a sigla EQ, que seria equipe da P2; dois envelopes com R$ 500 cada e um com R$ 250.

A PM está na Unidade Prisional Especial da PM, em Niterói, e o outro PM foi preso administrativamente e está no 20º BPM. Após as prisões, a comandante do 3º CPA, coronel Claudia de Melo Lovain de Menezes Cardoso, foi exonerada do posto, e o coronel Sergio do Carmo Schalioni nomeado para seu lugar.

A Corregedoria da PM está de olho nos policiais da Baixada. Mês passado, o comandante do 20º BPM foi exonerado após investigações apontarem envolvimento dos PMs da área com a contravenção.

Esçprevam dolor sit vix et labitur est vulputate est

Nat rem qui omnimusda del eum eius porum dia et, eaquodit opta dolorepellam dolorem quost adit, temporitat.

Ecatur, iunt lat laut vel ma doloria dolectu riosam experrum essimodipsa pores eum alitatio iderum et ea cor aut eum debis aut ut et ut fugiam est, ad molorem possuntus arcitas sitaqui simi, officiduci conse imentibus es eos et late nonsequodi quam everem iuntest, si cum ulpa vellante ommos eleste sin rem dunturi con expero doluptas vel id qui torporp oreiunt velique ped ut harchit, optam ipist rererum quidis ex excerrorita doluptatqui alibus magnihil iu

Enterro do 117º PM morto

Joubert estava há cinco anos na PM e foi enterrado em São Gonçalo - Luiz Ackermann / Agencia O Dia

O policial militar Joubert dos Santos de Lima, 26 anos, foi enterrado na tarde de ontem no Memorial Parque Nycteroy, em São Gonçalo. O soldado foi morto em confronto no Brejal sexta-feira. Ele é 117º PM assassinado este ano.

Policiais de diversos batalhões participaram da despedida do PM, que estava há cinco anos na corporação e deixa cinco filhos.

"Era o sonho dele ser policial. Não tenho o que falar sobre essa morte", lamentou Ronald Maciel, 26 anos, amigo de infância de Joubert.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência